na Graça de Graça!

Como já disse na postagem Igreja x Desviados 2, considero Roberto, um grande amigo de seminário e caminhada, acho desnecessário daqui pra frente apresenta-lo em novas matérias por ele enviada.

Leiam com calma, tirem suas conclusões, opinem, e não esqueçam de respeitar quem tem opinião diferente da sua!

Segue na integra:


E ai irmão, ó eu ai de novo, quero expor algo que está no meu coração.

“GRAÇA”

Muito tem se falado de “Graça”, inclusive o seu blog tem o titulo de “Caminhando na Graça de Graça”.

Pois bem eu pergunto: O que é Graça?
Será que os evangélicos de hoje sabem o que é Graça?
Será que os teólogos sabem o que é Graça?
E na igreja sabem o que é graça, estão se falando de graça?
Mais uma vês eu pergunto o que é “Graça”.

Sem a pretensão de esgotar o assunto, pois quando se fala de graça o tema é muito abrangente, mesmo assim quero expor algo que está no meu coração.

Paulo é o grande apóstolo da Graça.

Das 155 referências do Novo Testamento à graça, 133 são dele.
A Graça abre as suas epístolas, a Graça as conclui, e a Graça é a nota principal de tudo entre o começo e o fim.
O termo “graça” provém do latim “Gratia”, que é tradução de “Gharis”, em grego, que significa graciosidade, benevolência, benignidade favor ou bondade.

Paulo coloca “Charis” com o significado de favor livremente concedido, empregando o termo especialmente para se referir ao que Deus fez por nós em Jesus Cristo e por meio dele.

Poderíamos dizer que graça é o amor de Deus agindo em nosso favor, dando-nos livremente o seu perdão e a sua aceitação, de uma vez por todas.

“Onde abundou o pecado, superabundou à graça” Romanos (5:20)

A Graça de Deus em Cristo não se resume a uma doutrina, não é uma teologia, não é um fundamento bíblico para ser assimilado intelectualmente, não é mera aglutinação de conhecimento teórico.

Pensar a Graça com essas categorias nada traduz acerca do Evangelho.

Podemos até conceituar o Amor Incondicional de Deus, mas esse amor só será “aprendido” se for “Experimentado”!

Portanto, a Graça é dom de Deus, recebido pela fé (que também é Graça, pois é fruto do trabalho do Espírito Santo na consciência humana), pela revelação da Verdade, que é Cristo Jesus: o Cordeiro sacrificado na eternidade pela culpa de toda criação, antes mesmo que houvesse mundo,
(1Pe 1:20), (AP 13:8).

Ele se manifestou através da Sua encarnação, morte, ressurreição e ascensão acima de todas as coisas; e, foi Ele quem estabeleceu que por Sua Graça se pudesse ter Vida, tanto nessa existência como na Eternidade!

Desse modo, saiba-se que a Graça é tudo e tudo é Graça!

Nenhum passo rumo a qualquer maturidade espiritual pode ser dado senão no caminho dessa Graça.

Já está evidente que a vida dita “cristã” que acontece fora do chão da Graça de Deus só gera doenças espirituais, psicológicas e existenciais.

Gera religião, mas não sedimenta a paz de Deus.

Gera mudanças comportamentais, mas não renova o homem interior.

Pode gerar novos hábitos, mas não assegura um novo coração.

Este texto foi extraído do livro “O caminho da Graça para todos” de Caio Fábio.

Bem como podemos ver, Caio Fábio nos traça um esqueleto sobre o tema, e
que podemos recheiá-lo.

Eu penso que graça sempre existiu, uma vez que o Cordeiro foi imolado antes da fundação do mundo.

E se Deus é eterno e a Graça provém de Deus, logo a Graça é eterna sempre existiu.

Está foi uma forma que Deus providenciou para que o homem pudesse ter vida aqui na terra, pois quando houve a queda do primeiro casal no jardim do Éden, o homem herdou a morte, Paulo diz que o salário do pecado é a morte, logo o homem teria que ter morrido, mas ao contrário permaneceu vivo e Adão morreu com 930 anos e gerou filhos e filhas.

Isto é Graça!

Logo nós somos filhos da graça gozando da Graça que também Adão gozou,
mesmo que esta consciência não seja revelada, discernida, entendida, todos os seres humanos de qualquer credo ou religião, sem exceção gozam desta Graça.

A Graça se revela desde o Antigo Testamento, Paulo escreve que todos pecaram, se todos pecaram como viveram? “Graça”.

E no Novo Testamento ela está explicita, escancarada.
Em todos os passos de Jesus nós vemos Graça.
Nas suas ações, verbalizações, atitudes e gestos.
Tudo em Jesus é Graça, tem Graça e é de Graça.

Jesus é o agente da Graça, a revelação visível da Graça invisível que agia antes do Verbo se manifestar em carne.

Jesus não consentiu no apedrejamento da mulher adultera “Graça”.

Jesus foi cear na casa de Zaqueu, o publicano que para os da religião deveria se excluído da sociedade, “Graça”.

Na parábola do filho pródigo o filho não merecia o perdão do Pai, o que vemos ai, “Graça”.

Jesus curava todos que se achegavam a Ele sem exceção, “Graça”.

Jesus não descriminava ninguém, “Graça”.

Jesus falava a todos os pecadores, publicanos, coxos, parias da sociedade, o que é isso, “Graça”.

Poderia citar outras passagens, mas creio que já deu para sacar.

O que me entristece é que em mais de vinte anos na “Igreja Instituição”, nunca ouvi uma pregação sobre Graça.

Não se fala de Graça na Igreja, seminários, escolas Teológicas etc..

Lógico porque a Graça desmonta a religião, a teologia dos homens, as falácias, os domínios, hierarquias.

Deus é dono de tudo e de todos e resolveu dar este presente a humanidade, e fim de papo.

O homem quer tomar conta da Graça de Deus e transforma em desgraça.

A desgraça que eu falo é a religião começando pelo cristianismo, que quer escravizar as vidas de forma escrupulosa desviando-as dessa Graça.

O evangélico não sabe o que é Graça, os teólogos não sabem o que é Graça, dizem só pela Graça sois salvos, mas, só na teoria, na prática isso não acontece.

A Graça da religião tem pagar, trabalhar “MUITO” para fazer merecer, e nunca acaba o trabalho.

Tem que mostrar serviço, esforço, suar a camisa com presenças dominicais e semanais, campanhas, correntes, vigílias, descarrego, ensaios, festas, congressos, penitencias etc.etc.etc...

Não aceitam o perdão de Deus, não querem a Graça, preferem a subordinação, os trabalhos, o julgo legalista e o fardo pesado.

Penso que o homem prefere tudo isso porque herdou a mentalidade pagã.

No paganismo tem sempre que se estar se pagando algo para os deuses sempre.

Nesse momento convoco a todas as pessoas a aceitarem essa Graça.

Já está tudo resolvido antes da fundação do mundo, é só crer.

Aceitem esse presente de Deus para nós, e vamos experimentar esta “Graça”.

Se todas as pessoas tomarem posse dessa consciência, e passarem a vivenciá-las acaba tudo isso.

Ai eu quero ver os xerifes da religião quebrar a cara.

Ah! Como eu gostaria de ver os templos vazios e os donos da religião com a cara de “BUNDÃO”.

Não ter de quem rancar dinheiro, iriam ter que pegar no basquete.

Desde a época de Paulo até hoje vemos isso, alguns que não gostam do basquete se transformarem em “Charlatões”.

Paulo exortava contra os tais: Quem não trabalha não come!

Gente boa de Deus vamos ler a Bíblia e crer nela!

Ler sem o condicionamento da religião e se verá a Graça de Deus borbulhando em toda a escritura.

Deus deu a oportunidade a todas as gerações desde o princípio e principalmente de Cristo pra cá a viver na Graça, pela Graça a de Graça, agora é a nossa vez.

Caminhemos na Graça de Graça!

Sem mais, Irmão Roberto.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...