Lembrando nossos Mártires

Ser mártir é dar testemunho de sua fé ou selar este testemunho com a própria morte. A história da nossa Igreja faz parte da história dos quase 300 mártires protestantes que defenderam a sua fé reformada e desafiaram as autoridades da época, destacando as Sagradas Escrituras como autoridade definitiva na vida cristã.

Na história das Igrejas Reformadas, muitos pagaram com a própria vida este desafio, em grupo ou individualmente.Não devemos esquecer, jamais, os episódios que bem marcaram, ou melhor, mancharam com sangue inocente, e até hoje ainda ilustram a história religiosa no mundo inteiro. Um deles nos remete a 25 de maio de 1553, quando foram submetidos à morte por afogamento 14 anabatistas.

Um outro, que é considerado o maior massacre religioso do povo francês, traz-nos à memória a célebre “noite de são Bartolomeu” que, em 24 de agosto de 1572, por causa de sua fé, morrem na França, a golpe de espada - numa só noite -, mais de 100 mil protestantes calvinistas, vítimas da intolerância religiosa.

Saiba quem foram alguns destes homens que fazem parte desta galeria de líderes que, ao defenderem veementemente aquilo que criam, morreram de pé, e hoje servem de exemplo para o fortalecimento da nossa fé. Sem a coragem deles praticamente não existiríamos.





João Wycliffe – considerado “a estrela d'alva da Reforma”, morreu em 31 de dezembro de 1384, mas só foi condenado como herege no dia 4 de maio de 1415 pelo Concílio de Constança que ordenou que os seus ossos fossem queimados.
Tido como o homem mais culto e mais destacado da Universidade de Oxford, Wycliffe traduziu a Bíblia, versão latina (Vulgata), para o inglês e organizou a ordem dos “sacerdotes pobres”, conhecidos como os irmãos Lollardos , que foram destacados como uma força poderosa na disseminação do Evangelho por toda a Inglaterra.




João Huss – estudou na Universidade de Praga, onde foi reitor; adotou as idéias de Wycliffe. Foi condenado à fogueira, em Constança, em 6 de julho de 1415.




Jerônimo de Praga – reformador da Igreja da Boêmia, foi martirizado em 30 de maio de 1416 pela mesma condenação de João Huss, e de quem era discípulo, depois de confessar publicamente a sua fé.




Girolamo Savonarola – foi enforcado, em 23 de maio de 1498, depois de procurar reformar o Estado e a Igreja de Florença. Sua pregação ia contra a vida desregrada do papa.

João James – morre, na Inglaterra, no dia 15 de novembro de 1661. Seu corpo foi esquartejado e cada parte enviada para vários locais como advertência aos não-conformistas.




Thomas Cranmer – principal articulador da Reforma inglesa. Notabilizou-se depois de ter sido eleito arcebispo de Cantuária; por ter sido o responsável pela anulação do casamento de Henrique 8.º com Catarina de Aragão; e, principalmente, por ter sido o responsável pela confecção dos Dez Artigos , de estilo luterano (1536); por promover uma nova versão da Bíblia, usando como base o texto de Tyndale; e por publicar, em 1547, o Livro das Homilias ; mas, acima de tudo, por ter sido o responsável pelo primeiro Livro de Oração Comum , em 1549. Foi morto na fogueira no dia 21 de março de 1556.





HUGH LATIMER, Bispo e Mártir – Hugh Látmer nasceu em Themaston, Leicestershire.”Papista” convertido ao protestantismo aos 30 anos,tornou-se um dos doze pregadores licenciados (licenced preachers) de Cambridge.Acusado de heresia,foi obrigado a assinar sem crer os artigos de fé.Resignou à Diocese em 1539.
Foi prisioneiro até a morte de Henrique VIII (1547). Readquiriu o favor sob o reinado de Edward VI, mas foi novamente preso e processado por ordem da Rainha Maria. Condenado por heresia foi queimado vivo no dia 16 de outubro de 1555. Naquele triste momento Látmer disse para seu companheiro: “Fique bem confortado,Mestre Ridley,e seja homem.Nós vamos neste dia acender tal vela pela graça de Deus na Inglaterra que eu creio nunca será apagada” . Considerado mártir da Reforma da Inglaterra. Seus sermões foram publicados em 1635.





NICHOLAS RIDLEY – Nicholas Ridley, nasceu em Northumberland.Capelão de Thomás Cranmer,Arcebispo de Canterbury,colaborou com este na redação dos Trinta e nove Artigos de Religião, que se tornaram o fundamento da Igreja Anglicana e do anglicanismo mundial,inclusive da Igreja Episcopal Reformada,bem como no preparo do livro inglês de Oração Comum. Foi anda capelão de Henrique VII e Cônego de Worchester,tornou-se Bispo de Rochester em 1547, e de Londres,1550. Acusado de introduzir o protestantismo na Universidade de Cambridge,1547. Propagou os princípios da reforma.Foi preso após a ascensão de Maria Tudor (a saguinária) ao trono,1533 Dois anos mais tarde, foi declarado herege e queimado vivo com Hugh Látimer.





JOHN HOOPER – John Hooper, nasceu Somerset,em fins do século XV. Abraçou os princípios da Reforma e, para escapar à perseguição,refugiou-se no continente europeu,1539. Regressou a Londres 1549, sendo nomeado,no ano seguinte, Bispo deWorcester e Gloucester. Após a ascensão de Maria Tudor,1553, tornou-se uma das principais vítimas protestantes ao ser queimado vivo num pelourinho próximo à sua própria catedral.

Morreu no dia 9 de fevereiro de 1555, como um dos grandes baluartes da fé reformada inglesa em Gloucester, Inglaterra.




William Laud – arcebispo de Cantuária e conselheiro do rei Carlos 1º, foi condenado à prisão, em 1641, pelo Parlamento, por ter tentado impor à Escócia o Livro de Oração Comum . Foi executado por traição, em 1645, no auge do governo puritano.

Jean du Bourdel , Mathieu Verneuil e Pierre de Bourdon – considerados os primeiros cristãos reformados da América, e também conhecidos como “os mártires da Guanabara”, estes franceses foram condenados à morte por afogamento, na Baía da Guanabara (RJ), em 9 de fevereiro de 1558, apenas por defenderem a sua fé.Eles faziam parte da comitiva dos 14 huguenotes que aportaram ao Brasil no dia 7 de março de 1557 enviados por João Calvino.

Roberto Farrar – bispo, martirizado e condenado à fogueira em 30 de março de 1555 por causa de sua fé.





William Tyndale – presbítero e mártir; tradutor do Novo Testamento em inglês. Foi morto por estrangulamento, em 6 de outubro de 1536, e, sendo queimado o seu corpo, deu-se o fim de um sonho de concluir a tradução da Bíblia para a língua de seu povo na época.


créditos: http://arsenaldocrente.blogspot.com/


Opinião do Blog:

Quando estudamos a história da igreja, ficamos perplexos ao compararmos o caráter dos lideres daquela época com a nossa.
Corrupção, mentira, interesses, sempre existiram é verdade, mais vocês ao de convir comigo que o negócio esta muito feio hoje.
A desculpa é a mesma, Deus atua conforme a época, ou seja, Ele se adapta as mudanças, afinal hoje tudo mudou então Ele mudou também, para assim melhor entendermos a sua "vontade", tornou-se um Deus bem diferente do passado, inclusive até o passado recente.
Se Deus ordenasse fogueira para os hereges, falaciosos, sofistas, falsos mestres e lideres de hoje, não sobraria ninguém pra contar história.
Fico olhando a história dos mártires e aqui copiei apenas uma pequena parte dela e me perguntando se realmente valeu à pena o que milhares de corajosos homens, mulheres e crianças fizeram, valeu o sacrifício? Como estamos desfrutando a liberdade que foi conquistada a partir da Cruz?

4 comentários:

Faculdade Teológica disse...

muito boas essas opiniões parabens

Abs!
Faculdade Teológica

Marcelo e Eunice disse...

Valeu pessoal

obrigado pela força

Marcelo & Eunice

Anônimo disse...

Você acredita em Deus ou você crê em Deus

Quando o homem é chamado a refletir a partir de sua consciência a começar a considerar sua existência e o papel Supremo do seu Criador , ele é desafiado a andar contra o vento e remar contra a maré, pois nesse mundo moderno que vivemos para não morrermos, tudo nos empurra ao não confiar ou não crer que Ele seja suficiente para nós, senão vejamos as diferenças que existem entre os que crêem e os que acreditam:

Acreditar é saber da existência inquestionável de Deus, é defende-Lo a todo custo, é entender que se O buscarmos Ele nos dará aquilo que precisamos, é irmos à Sua “casa” e rende-Lhe culto, é trabalharmos pra Ele e esperarmos que não seja em vão, é sermos mediados por um pastor ou bispo ou apostolo e confiar que esses tem a autoridade dada por Deus para o fazerem, é discernir o Evangelho a partir de coisas materiais quando essas não são materializadas em amor ao próximo, é servi-Lo para que nos demos bem em nossa vida, isso e muitas outras coisas são sinônimos de acreditar em Deus.

Crer Nele no entanto vai além de nosso entendimento, e só é discernido no coração quando o Espírito Santo O faz, Crer entendo que seja nem pensar em defende-lo , pois Ele é inatingível e quem sou eu para tal, crer é entender que Ele já fez tudo e rendidos a Ele aceitamos o bem que ele nos faz diariamente, crer é estar consciente que somos adoradores 24 horas por dia entendendo que somos sua habitação e em nós é que é revelada a Palavra encarnada, e assim se houver ajuntamento que seja para prestigiar a vida e não cultuar a divindade, crer é saber que Nele nosso trabalho não é em vão, crer é ter a plena convicção que há um só Mediador entre Deus e os Homens a saber Cristo e os irmão que nos servem são iguais e amados sempre, crer é conscientizados a cada dia que o Reino esta dentro de nós e que o Evangelho é o Próprio Senhor Jesus que é experimentado e todo dia e é para vivermos Ele e não somente falar Dele, Crer em Deus é principalmente nos colocarmos a disposição do próximo e se o que entendermos de Evangelho for para nos beneficiar em negócios , em saúde , em ganhar aqui a vida, ai devemos voltar ao inicio e começarmos novamente.
Um beijo a todos.

Arnóbio

Marcelo e Eunice disse...

Valeu Arnóbio, um beijo pro ce, vamos colocar um post com sua reflexão

Marcelo & Eunice

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...