Dia dos Bombeiros

Rodando nessa louca São Paulo, diariamente sob motocicleta eu vejo como esse pessoal vale ouro...

Parabéns a estes verdadeiros heróis ...



























fotos tiradas em 06/07/2008 em comemoração realizada no museu do Ipiranga

Igreja, Ceia e Perdão

Bate bola do Roberto com Marcio

Na Integra:


Irmão Marcio.

Roberto, sou professor de escola dominical, fiz curso de teologia e congrego na Assembléia de Deus.

Você disse para Gislene minha aluna que a igreja somos nós, pois bem eu lhe pergunto: Como fica a Santa Ceia?

E com relação a apostila do Caio Fabio que você deixou com a Gi, falei para ela tomar cuidado com o que se lê, pois o Caio Fabio está fora da igreja.


Meu amigo e irmão Marcio.

Não o conheço, mas com todo respeito e reverencia e como corpo de Cristo, venho esclarecer alguns pontos que acho de suma importância.

Primeiro gostaria de dizer que eu e a Gi somos colegas de trabalho, e gosto muito dela a ponto de deixar uma apostila em suas mãos para maior entendimento e crescimento na Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Todavia ela tem me dito que está gostando muito, porém, mostrou a mesma a você o qual a alertou para tomar cuidado com o que lê e que você disse também que se a igreja somos nós como fica a “SANTA CEIA”, pois a final eu disse á ela que a Igreja somos nós.


Admiro você dizer isso a Gi, pois ela me disse que você é teólogo, e isso é matéria básica.

Igreja vem do vocábulo grego (EKKLÉSIA) que significa basicamente “Os chamados para fora”, dando entender um grupo distinto selecionado e tirado para fora de algo.

Esse termo não é especifico no campo religioso, pois no grego clássico era utilizada para iniciar uma “Assembléia”, “Reunião”. Originalmente os cidadãos de uma cidade eram chamados mediante o toque de uma trombeta
que convocava para se reunirem como assembléia em determinado local, a fim de tratarem de assuntos comunitários; era uma assembléia de cidadãos
efetivos, e arraigava-se na constituição democrática, uma assembléia na qual se tomavam decisões fundamentais, políticas e judiciais, “UMA ASSEMBLÉIA PAGÔ.

Quando Jesus usa essa palavra em (Mat16:18) que é a única vez que aparece a palavra EKKLÉSIA nos Evangelhos, ele se refere a minha EKKLÈSIA, pois existia varias EKKLÈSIA, mas quando ele diz a minha, ele quis dizer os que me segue, o meu grupo, a minha gente, que juntos ou separados, separados ou juntos, juntos estão com a mesma consciência do evangelho da graça o qual o cabeça é Cristo.

É no sentido de natureza relacional, o organismo e não a organização.

Para Paulo o apostolo o sentido de igreja “EKKLÈSIA”, é de uma assembléia de pessoas convocada por Deus, o qual se reúne com seu povo.
Igreja “EKKLÈSIA”, nunca é designada a um prédio, como na palavra portuguesa Igreja.


Paulo se referia as pessoas quando dizia Igreja.

Exemplo:

“Saudai também a igreja que está em sua casa” (Rom 16:5).

“As igrejas da Ásia vos saúdam” (Co 16:19).

“Saudai aos irmãos que estão em Laodicéia, e á Ninfa e á Igreja que está em sua casa” (Cl 4:15).

Também em (Rom 16:1), (Cl 4:16), (Gl 1:22), (Gl 1:2), (Cl 1:18), (Ef 1:22), etc...

Poderia citar varias outras passagens que não nos deixa duvidas em relação a igreja como os que segue a Jesus, as pessoas com a mesma consciência do evangelho.

Não existi mais de uma igreja só existi uma Igreja o qual o cabeça é Cristo, e mais, nesta época não existia Igreja como nos dias de hoje modelo “Constantiniana”.

Todos nós sabemos que esse modelo de Igreja que temos hoje surge no 4°séc com Constantino Imperador de Roma.

No 1°, 2°, 3° e até a metade do 4°século, os cristãos não construíram nenhum templo cristão que a história registra.
O primeiro templo cristão que a história registra é o Santa Sofia que hoje está em Istambul na Turquia que até então na época era Constantinopla.

Infelizmente a palavra se misturou com a instituição, templo, mas o templo somos nós. “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo
(Co 6:19)”. “ O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens (At 17:24).


Acho que com todos esses argumentos são suficientes para esclarecer que Igreja somos nós.

Quanto ao que você chama de “SANTA CEIA”, eu chamo de “CEIA” não santa.

A CEIA Bíblica nunca foi santa, mas era e é um memorial, celebração, festa com mesa farta e com a lembrança e consciência do Evangelho da Graça em que estava e está tudo pago (TETÉLESTAI).

Ceia significa Mesa farta, no Aurélio (refeição), pois bem no Didaquê registra que os cristãos do 1°séc se reuniam para falar do evangelho e depois ceavam, mesa farta, comiam, bebiam, festejavam, era a tal chamada (FESTA AGAPE).

Hoje as instituições além de servir um copinho de suco de uva e uma migalha de pão aos fiéis, fazem um terrorismo em cima dizendo: “Examine o homem a si mesmo”, “cuidado”, “se tiver pecado não pode tomar o suquinho de uva e nem comer a migalha de pão”, “confessa”, etc.

O que é isso! Isso é ridículo, pior que a Jihad, eu pergunto:
Quem é digno? Se todos nós somos pecadores, como é que fica?

Não pecamos porque somos pecadores, somos pecadores por isso pecamos.

Todos pecaram e destituídos estamos da glória de Deus.

Na verdade ninguém é digno, mas em Cristo somos todos dignos.

Uma vez que Cristo derramou seu sangue na cruz do calvário por todos os homens, em Cristo somos todos feitos dignos e “SANTOS”.

E mais, no primeiro século qualquer um celebrava, batizava, não era igual hoje nas instituições, em que só alguém do clero é que pode dirigir a ceia, o batismo, etc.

E mais, essa história que só na instituição é o local adequado para tal evento não existe.

Tudo isso surgi por volta do 4°séc quando Constantino a pedido de sua mãe Helena constrói um templo e usurpa o nome de Igreja “EKKLÈSIA” e atribui ao templo, e se uni ao estado de Roma. Foi então se criando todas estas regras e dogmas religiosos inventados pelo clero de Constantino que duram até hoje, basta ler qualquer livro de história da Igreja, que se vera claramente isso.

O Evangelho de Jesus não reconhece essas hierarquias “ARISTOTÉLICAS, NEO PLATONICAS, FILOSÓFICAS que a igreja absorveu a partir do 4°século e se perdura até hoje com mais todo tipo de achismos e modismos Norte Americanos.

Pois bem, seguindo essa linha de raciocínio é lógico que eu ceio em memória de Cristo, e me reúno para falar do Evangelho.


E quanto a pessoa do Caio Fabio, lamento o irmão ter feito um comentário muito infeliz.

Pergunto:

O que você diria de uma pessoa, que adulterou e mais, para conseguir tal êxito matasse o seu cônjuge, fosse um verdadeiro sanguinário.

E depois de tudo isso ainda escrevesse poesias para ser cantada a Deus.
Pois é você já sacou de quem estou falando.

A igreja evangélica hoje adora usar esta pessoa como sinônima de sevo bom e fiel. Eu estou falando de Davi.

Talvez você pode estar pensando é velho Testamento.

Mas o que você diria de uma pessoa que traiu o Mestre uma vez, ou melhor, duas, não três e a igreja também adora usá-la como exemplo.

Acho que também você identificou de quem estou falando, o apóstolo “Pedro”.

E outra pessoa que chegasse a perseguir os cristãos a ponto de torturá-los e matá-los, e depois suas cartas serem lidas hoje nas Igrejas “Templos”, como palavra de Deus, eu estou falando do próprio “Apóstolo Paulo”.

Pois é amigo poderia citar muitos outros personagens Bíblicos que pecaram feio, e a Igreja evangélica hoje aceita numa boa. Porque pergunto?

O Caio Fabio por muito menos, muito menos mesmo, a igreja tem dificuldade de perdoar.

Mas quem podia na verdade condená-lo resolveu perdoá-lo.

Se Paulo, Pedro, Davi, Abraão, Jacó, Jonas, etc. Revivessem, não teriam lugar para eles na igreja evangélica.

E piorou Jesus, pois Jesus foi e sempre será um escândalo para os religiosos.

Pois é irmão o evangelho caminha na contra mão da religião, enquanto a religião condena, o evangelho perdoa.

Jesus disse misericórdia quero; quem não tiver nenhum pecado que atire a primeira pedra, e estas palavras que você está lendo vem de um pecador que também foi perdoado pelo Espírito do Evangelho, talvez a religião não me perdoe, as pessoas não me perdoe, mas nesse momento faço a oração do Publicano, e os céus me ouvirão.

Não diga impuro a quem Deus constituiu puro.

Se quiser conversar mais terei o maior prazer.

Sem mais: Simplesmente Irmão Roberto.


O que você achou desta matéria? passe o mouse e vote!

Família Bus Ka Pé

Mãe Berva



Nóis



Filhos, filhas, netinha, e peixinho!
























Quem é de Mailasqui, São Roque e não conhece o João do Riva?

Alerta Geral * arquivo de Junho*

É indispensável analisarmos mediante a luz do Evangelho novas tendências
(algumas já velhas) em nosso meio, cada um tire suas conclusões:


Mudando de Assunto:


A revista VEJA de 02 de julho de 2008 publicou uma reportagem onde um pai de santo, que se sentiu lesado por uma empresária foi a Justiça do Trabalho do Amapá para reclamar a falta de pagamento de R$ 15.000,00 cobrados por ele, em troca de um trabalho de descarrego completo com o objetivo de limpar a empresa de coisas ruins e abrir os caminhos nos negócios.

Como a empresária se recusou a pagar, o pai de santo resolveu reclamar os seus direitos na Justiça.

Para provar que estava falando a verdade, o “médium” apresentou uma foto da empresária quando de uma visita ao centro de macumba.

O pai de santo tirou a foto, porque segundo ele, foi advertido pela entidade que incorpora chamada de Constantino Baiano Grande Chapéu de Couro.

E além da foto, contou também com o testemunho de um dos seus auxiliares.

Resultado, a empresária teve que desembolsar R$ 5.000,00.

O pai de santo disse: “Não consegui os R$ 15.000,00 reais que pretendida, mas levei R$ 5.000,00, já estou satisfeito.”

Marcas de um tempo onde a burrice espiritual já se tornou estatal.
P.S. Meus respeitos ao simpático burrinho da foto

Créditos da matéria e da foto: http://mentoriaespiritual.blogspot.com/

Opinião do blog:
Se a moda pega heim... cuidado pra não sair na foto senão... $$$$$$







UFA, ainda bem que hoje é sexta feira 18



foto: http://hasbana.blogspot.com






Campanha de Ester

"Eu declaro que nunca quebrarei minha aliança com o Apóstolo Estevam e com a Bispa Sonia. Eu profetizo que embaixo de cobertura apostólica vou viver a extensão da autoridade deles, em nome de Jesus. Amém!!"

Oração que foi feita no quarto dia do "Jejum de Ester" nas igrejas Renascer em Cristo. Cada "oração profética" deve ser repetida três vezes ao dia.

A campanha foi de 24/5 a 21/6.

No encerramento, os participantes receberam uma coroa em miniatura como "símbolo profético".

fonte: iGospel / Pavablog


Vá pentear macacos

A colunista de TV de “O Globo”, Patrícia Kogut, informa que parte da programação da CNT nas noites de sábado está sendo ocupada por um “reverendo” (com muitas aspas, por favor) que promete mundos e fundos.

“Ele se apresenta com um jaleco branco de médico, vende o ‘pente milagroso’, convida os ouvintes para irem à ‘gruta dos milagres’ e anuncia ter recebido poderes de Deus para afastar os macumbeiros e curar até os aidéticos”

Curar aidéticos? Não é o primeiro a afirmar isso.

No dia em que o Ministério Público resolver agir e a Justiça condenar por estelionato quem faz esse tipo de promessa aos incautos e crédulos, o poder da “cura” vai minguar rapidamente nos púlpitos do país.

fonte: Luiz Antonio Ryff, no blog Nonsense. / Pavablog



Enquête encerrada...
Em pesquisa encerrada em 20/06/2008, perguntamos:
A qualidade das mensagens que você ouve na Igreja em geral é:

Excelente 0 %
Muito Boa 5%
Razoável 41%
Ruim 29%
Péssima 23%

Como vemos algo esta errado, e não me venham falar que o problema esta com quem ouve!

Leiam as matérias: Mocidade on Line e a Moda Antiga,no qual tratei sobre este tema, a reportagem só vem afirmar o que tenho dito faz tempo...

JOVENS CRENTES SEM RELIGIÃO CRESCEM NO PAÍS

Uma nova forma de religiosidade cresce entre jovens brasileiros.

São os crentes sem religião, que valorizam a fé, mas sem se vincularem a uma igreja.

Pesquisa do teólogo Jorge Cláudio Ribeiro, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ainda inédita e que será apresentada no livro “Religiosidade Jovem”, indica que, de 520 universitários entrevistados, de 17 a 25 anos, 32% são “jovens sem religião”.

O tema é assunto de comportamento da revista IstoÉ desta semana, com chamada de capa para a matéria “A fé da juventude”, do repórter Rodrigo Cardoso.

Dos jovens sem religião da pesquisa de Ribeiro, 12,2% se declararam agnósticos ou ateus e 19,8% crentes sem religião.

A novidade reside precisamente nos crentes sem religião.

“O espírito buscador do jovem não procura uma instituição religiosa que o enquadre, mas uma doutrina onde ele se encontre”, declarou a antropóloga Regina Novaes para a IstoÉ.

A concepção de que a fé só poderia ser vivida dentro de uma religião ou de uma igreja passa a ser questionada pela juventude.

Ribeiro verificou, na pesquisa, que para o jovem brasileiro ter fé é mais importante do que seguir uma doutrina.

Segundo matéria da IstoÉ, “os símbolos religiosos, antes difundidos na igreja e no âmbito familiar, circulam mais por outras áreas de domínio público”, como blogs, camisetas, feiras, na moda.

Para Regina Novaes, “na juventude é o momento de se experimentar.

E,hoje, também se experimenta religião”.

Sem dúvida, um desafio para as igrejas históricas, pentecostais, neopentecostais, na busca de jovens para suas fileiras.

ALC
fonte: http://noticiascristas.blogspot.com/



Que Crente tu és ?
Hollywoodianos e afins


Crente Walt Disney: sempre tem uma estória pra contar.
Crente Álien: baba quando fala.
Crente Predador: invisível, mas faz um estrago...
Crente Rambo: ninguém agüenta mais suas missões.
Crente Macaulay Culkin: sempre se esquecem dele.
Crente Magaiver: acha solução pra tudo.
Crente Shaekspare: no púlpito é bom em pregar peça.
Crente Richard Gere: faz apelo até às prostitutas.
Crente Johnny Deep: é pirata, mas agrada o público.
Crente Titanic: é profundo, mas ninguém quer embarcar na dele.
Crente Bergman: é “cabeça”, mas nada popular.
Crente Indiana Jones: faz pose de professor certinho, mas adora uma aventura.
Crente Almodóvar: é sempre um problema para os fundamentalistas.
Crente Harry Potter: chegado numa mágica e se sente O escolhido.
Crente homem-aranha: seu maior poder é amarrar os outros.
Crente Sexto Sentido: está morto e não sabe.

fonte: http://verticontes.blogspot.com








Parece Piada...

Esta com Problemas?

Não se desespere, o missionário Ronildo Peçanha é a solução!






Chuck Norris que se cuide!

O cara já visitou 200 paises! São 7 a mais do que o numero de paises representados pela ONU!

O cara não é fraco!

fonte: http://mentelivre3.blogspot.com/





Clique na imagem acima,se prestar atenção você vai ler no cartaz:
" venha receber a prece violenta"

Meu Deus, o que será isto?
Será um descarrego estilo Bope?

- demônio pede pra sair!!
- não vai sair? Obreiro, traz o saco!

fonte: http://mentelivre3.blogspot.com/





Muito interessante esta matéria da Revista Eclésia, para quem não leu ainda, segue na integra:

Pasto universal do reino de Deus


Aedes = desagradável + aegypti = Egito. Proteção divina contra dengue.
Você receberá um cálice com o óleo santo para que todos sejam livres desta epidemia.


O endereço não deixa dúvidas. Catedral Mundial da Fé, na av. Dom Hélder Câmara, digo, av. Suburbana, Rio de Janeiro.


Água benta do rio Jordão, rosa milagrosa, sal abençoado, campanha para trocar o anjo da guarda, lenços ungidos...

Não há limites nos expedientes usados pela Igreja Universal para atrair mais pessoas.

Qualquer pessoa com conhecimentos bíblicos elementares pode discorrer sobre a falta de embasamento nas Escrituras para a maioria das práticas da denominação.

No entanto, a igreja tem sido agressiva nas retaliações e, como resultado, poucos ousam questionar as táticas da organização.

Classificada pela Veja como “a empresa que mais cresce no país”, a Universal é tema controverso até entre os pesquisadores.

Para Andeers Ruuth, ela pode ser definida como “Igreja de Supermercado”.

O cara vê a placa “pare de sofrer” enquanto passa pela rua, entra no templo, assiste à reunião, dá uma oferta (momento mais importante) e vai embora.

Eduardo Refkalefsky e Cyntia Lima discordam.

Para eles, pastores e obreiros trabalham com o intuito de transformar o freqüentador esporádico em fiel assíduo e, claro, dizimista.

Seja qual for o trabalho acadêmico, todos concordam num ponto: a ênfase na grana.

Para entender um pouco melhor a questão, é necessário voltar aos primeiros passos da caminhada de Edir Macedo no evangelho.

Durante doze anos, ele foi membro atuante da Igreja Pentecostal de Nova Vida, comunidade emergente na década de 60 fundada por Robert McAlister.

Segundo relatos, o missionário canadense era tão convincente na hora das ofertas que era comum as pessoas doarem até o dinheiro da passagem do ônibus de volta.

Em seu livro “Dinheiro: Um assunto altamente espiritual”, McAlister revela seu modus operandi: “Durante mais de 25 anos tenho assumido o púlpito com duas coisas preparadas: minha mensagem bíblica e o apelo para as ofertas.

Sempre soube que nenhuma das duas pode ser improvisada, resultando quase sempre a improvisação em fracasso”.

Macedo foi um bom aluno e hoje tem, digamos, uma espécie de “Livre-docência” na área.

“Antes” e “depois”

Ao menos por um instante, vou deixar Maquiavel quieto e afirmar com indisfarçável satisfação que a Universal é uma das comunidades mais acolhedoras do segmento evangélico.

Calcula-se que o exército de obreiros no país tenha mais de 500 mil integrantes.

Travestis hipermaquiados e pessoas humildes malvestidas são tão bem-recebidas nos templos quanto uma perua que pisa seus sapatos Prada em outra igreja neopentecostal.

Com mais de seis milhões de membros, a igreja tem um histórico enooorme de vidas transformadas, especialmente nos extratos marginalizados.

Com perdão pelo clichê, é possível afirmar que a Universal foi um divisor de águas no protestantismo brasileiro.

A igreja completou 30 anos em julho do ano passado e construiu um império de comunicação com 23 emissoras de TV e 40 de rádio.

Reportagem da Folha de S.Paulo que provocou uma enxurrada de processos orquestrados revelou que a holding macedônica tem ainda outras 19 empresas registradas em nome de 32 membros da igreja, na maioria bispos.

A ascensão da Universal promoveu no Brasil um matrimônio quase indissolúvel.

Após seu crescimento vertiginoso, o termo “dinheiro” com freqüência vem à mente quando alguém ouve a palavra “evangélicos”.

Pelo mesmo raciocínio simplista, pastores são confundidos com charlatões.

Várias igrejas chamadas “tradicionais” tiveram de alterar o discurso na hora de recolher dízimos e ofertas para não serem confundidas com a denominação que mais deslustrou a imagem do rebanho verde-amarelo em toda a história.

Pesquisa do Vox Populi de 1996 mostrou que a IURD é a mais desaprovada das grandes instituições brasileiras, com apenas 17 % de aprovação.

O índice é menor até que o do Congresso Nacional. Fogueira nada santa.

Meu coração era preto

Alguns episódios contribuíram para enodoar o prestígio da Universal.

Em 12 de outubro de 1995, o então bispo Sérgio von Helde cismou de dar chute numa imagem de Nossa Senhora Aparecida em pleno feriado da Padroeira.

As imagens transmitidas na noite seguinte no Jornal Nacional provocaram um verdadeiro deus-nos-acuda.

Trocadilho à parte, não houve socorro divino capaz de consertar a pisada na santa, digo, na bola.

O prejuízo doeu numa parte extremamente sensível da denominação: o bolso.

Grandes anunciantes cancelaram contratos com a TV Record e houve queda no número de freqüentadores, especialmente no México e na Espanha.

Segundo Macedo, von Helde atrasou o trabalho da igreja em dez anos.

Em 2006, ele saiu da Universal em razão de novos chutes, desta vez no sentido figurado. Após ser punido por maltratar outros pastores, ele se desligou da igreja.

No final do mesmo ano de 1995, a TV Globo exibiu também no Jornal Nacional o vídeo que mostra momentos de descontração de Macedo e alguns pastores.

Após uma partida de futebol, o líder da Universal ensina como pedir ofertas e inscreveu nos anais da trajetória do rebanho a indefectível expressão “dá ou desce”.

Nem o sabonete de arruda foi capaz de retirar a mácula na imagem da instituição e até hoje o vídeo é hiperacessado no YouTube.

A guerra aos umbandistas é uma das grandes e controvertidas marcas da Universal.

Ao mesmo tempo que combate as religiões afro, se apropria não apenas de expressões do dialeto do candomblé, como coloca os pastores de roupa branca nas chamadas “sessões de descarrego”.

Após inúmeros protestos e processos, o grau de beligerância arrefeceu um pouco, porém a intolerância continua em alta.

Uma confissão ligeira: nunca compreendi o fato de, a despeito do extenso know-how em práticas exorcistas, nunca terem obtido sucesso em afastar a única entidade cujo nome foi revelado por Jesus: Mamom.


Uma nova história

A despeito do sucesso empresarial, a comunicação tem sido um calcanhar-de-aquiles na organização.

Sobram números e falta influência, num simulacro perfeito do que acontece com o povo de Deus.

Por exemplo, publicam o jornal com maior tiragem do país e raramente uma linha ultrapassa as fronteiras dos templos de gosto duvidoso.

No ano passado, toda a mídia fez estardalhaço com o lançamento de “O Bispo: a história revelada de Edir Macedo”, publicado pela Larousse.

Diretor de jornalismo da TV Record, Douglas Tavolaro incorporou o espírito “reescrevinhador” de Ali Kamel e amalgamou novas versões para cada uma das nódoas com veleidades e irrelevâncias sem-fim.

Entidades ecológicas deveriam protestar com o destino triste de tantas árvores.

O livro não vendeu o esperado nas livrarias e, claro, fez sucesso nos templos da igreja.

É provável que um livro de receitas de dona Ester (esposa de Macedo) obtivesse o mesmo patamar de vendas.

Ao menos, seríamos poupados da constrangedora tentativa de transformar Macedo em mártir por conta de sua prisão em 24 de maio de 1992. Os mártires do cristianismo não merecem tamanho vitupério.

A lua-de-mel com a mídia durou somente o período em que a igreja obteve espaços generosos para divulgar a obra soporífera e chapa-alva de Tavolaro. Atualmente, chamar a denominação de “seita” já é suficiente para render um processo contra quem cometeu tal “heresia”.

Penso que deveriam se preocupar bem mais com as palavras que irão ouvir naquele dia em que os bodes serão separados das ovelhas.

No poema “O guardador de rebanhos”, Alberto Caeiro afirma que “pensar é estar doente dos olhos”.

Que o Eterno Guardador do rebanho continue velando e abençoando cada uma das dedicadas ovelhas de seu pasto universal.

Afinal, nas palavras do poeta “a única inocência é não pensar...”.

este é o texto que deve ser publicado na próxima edição da revista Eclésia. Obviamente, duas páginas não são suficientes nem p/ tocar na superfície de um tema c/ tantas implicações. Coloquei alguns links p/ quem quiser saber (e ver) um pouco +.
Fonte: pavablog.blogspot.com / revista Eclésia




O que você achou desta matéria? passe o mouse e vote!

Igreja x Desviados 3

Muito interessante este bate papo entre irmão Roberto e seu amigo Valter, se puderem, consultem as publicações Igreja x Desviados 1 que esta no menu de Maio, Igreja x Desviados 2 que esta no menu de Junho, para entenderem melhor esta matéria.

Leiam com calma, tirem suas conclusões, opinem, e não esqueçam de respeitar quem tem opinião diferente da sua!

Segue na integra:


Quando mandei o texto da mensagem “Igreja x Desviados”, do meu amigo Marcelo que por sinal estudou comigo no ICP, pensei que você teria a mesma visão que eu.

A idéia era que você também escrevesse no blog assim como eu e o Bita escrevemos, inclusive o texto resposta a “Igreja x Desviados” que escrevi e foi postado no blog te mandei também.

O blog é livre e pode expressar a vontade idéias sobre o tema que se quiser.

Longe de mim irmão de querer causar debates teológicos, cada um tem o direito de pensar e agir como quiser, mas acho que pelo tempo que nos conhecemos temos essa liberdade e achei super legal você ter escrito e exposto o que você pensa, principalmente sobre este tema “Igreja”, pois nunca conversamos sobre o assunto.

Irmão peço licença para expor o que está no meu coração, mas repito, longe de causar debates, pelo contrário, respeito sua posição.

Irmão Valter pelo jeito nós temos idéias bem diferentes.

Lembra quando nós nos conhecemos em 1988, pois é eu lembro como se fosse hoje.

Naquela época com 22 anos de idade a alma sedenta por Deus o que apresentaram pra mim foi à igreja (instituição), afinal se você quer Deus tem que ter a igreja, fora da igreja não há salvação, e eu fui.

Pois bem eu levantei a mão aceitei Jesus fui à frente etc.

Cumpri todos os rituais, dei freqüências dominicais, semanais, freqüentei escola dominical, vigílias etc.

Mas já naquela época sentia um fardo PESADO tanto que o meu primeiro conflito foi o batismo.

Eu fiquei com muita dúvida se me batizava ou não.

Queria Deus, mas não àquele julgo legalista, pensava que poderia ser diferente, e o tempo foi passando até eu não agüentei e joguei a toalha.


Quando entrou a década de noventa estava fora, com a marca de Caim, pertencendo aos da galeria dos desviados como se fala até hoje.
Porém carreguei a igreja comigo, e sempre vinha na minha mente que tinha que voltar, pois se morresse, pensava iria para o inferno.

A única referencia que eu tinha de reino de Deus, era estar na igreja.

Pra mim eu estando fora estava desligado, essa foi à mentalidade que foi formada nos poucos anos que congreguei.

Mas a vida dissoluta que passei a viver também não estava legal, e sempre encontrava com algum irmão da igreja e me dizia: Volta enquanto é tempo! E se Jesus voltar como é que fica? Eu passei a viver uma “PARANÓIA”.

Até que por fim voltei, corrido da cidade dos homens, pois o bicho estava pegando feio pro meu lado.

Eu pensei: Se para ter Deus tem que casar com a igreja, ou seja, pertencer à religião tudo bem, eu vou. E fui meio contrariado, chorando lágrimas de sangue. E como foi duro!

Isso aconteceu em meados de 1999. Fiquei fora da igreja uns 10 anos.

Mas só que agora era diferente, pois eu não era mais um adolescente, um marinheiro de primeira viagem, estava atento a tudo.

E comecei a questionar o porquê de varias coisas que não condizia com a Bíblia.

E ninguém me dizia nada, começando pelo Nailson, pastor Marcelo, pastor André, os amigos mais chegados, enfim, ninguém.

Eram múltiplas visões, um olho de mosca.

Lembra da carta que mandei pra você em 2002 quando estava em Miami, pois bem já naquela época minha fé estava abalada, eu estava em conflito.

Foi quando em 2005 eu entrei no ICP, pois a resposta que não encontrava na instituição pensava sanar no curso teológico, era a única saída em que estava vendo.

Quando comecei a estudar as coisas começaram a mudar dentro de mim, e comecei a ver que a igreja estava totalmente “FORA”.

A cada aula que tinha, eu ia sendo desinstitucionalizado.
O cristianismo foi morrendo dentro de mim.
Passei a não acreditar mais na igreja, principalmente quando tive “História da Igreja”.
As verdades que chegavam a mim eram reveladoras e bombásticas.

Eu estava tão indignado que eu não sei se você sabe, no meio do ano passado, convoquei uma assembléia para discutirmos sobre os abusos da igreja.

Distribui mais de 1000 panfletos, cartazes foram colocados no centro de Santo André, e arrumei um salão para 300 pessoas.

A intenção era discutirmos o assunto, e ver o que poderia ser feito.

Talvez começarmos um grupo diferente, sem domínio de poder, sem hierarquias, lei de Gerson etc.

Pois bem no dia 07/08/2007 que seria realizado a reunião não compareceu ninguém. “AMÉM”.

Depois disso coincidentemente comecei a ter acesso às mensagens do irmão Caio Fabio, junto com algumas literaturas.

Valter confesso a você, eu não conhecia o Caio. Só ouvia falar coisas negativas a seu respeito, o Sérgio que falava às vezes alguma coisa a respeito, que por sinal falava muito bem, mas eu tinha minhas reservas.

Lembro que assisti uma mensagem na casa da irmã Anézia no começo do ano passado, inclusive você estava junto, mas não gostei lembra?

Estava o Néco, Sérgio, Zeca, o Marcos, Miltinho, você, eu e outras pessoas que não lembro direito.

Mas já no meio do ano depois do ocorrido, resolvi dar atenção ao Caio, foi quando tomei um BAQUE.

Os vídeos que eu assisti do You Tube que o Néco Gravou, mais o livro “O caminho da graça para todos”, foi o suficiente para clarear tudo.

Foi difícil pra mim, pois todo sepultamento é doido, e no caso o “CRISTIANISMO”.

Tudo que ouvia, e lia o que o Caio falava, ratificava tudo que eu já estava vendo e aprendido na teologia.

Com o Caio aprendi o que é Evangelho, Graça, a não barganhar com Deus, não se justificar, a diferença entre religião e Evangelho etc.

Em toda a minha vida eu nunca ouvi uma mensagem na igreja sobre: Graça, Evangelho da Graça, justiça própria, amor, misericórdia.

Essa linguagem de Evangelho da Graça só ouvi da boca do Caio Fabio.

De modo que hoje irmão a maturidade chegou, e cheguei numa seguinte conclusão: A igreja que não é igreja e usurpa o nome de igreja, não tem nada haver com o Evangelho.

A igreja instituição faz um caminho oposto ao Evangelho.

E porque que eu estou falando tudo isso, e fiz um resuminho do que se passou comigo desde o inicio.

Para dizer que dentro desse raciocínio que clareou a mim, quando você diz que estar em uma instituição, ou não tanto faz, não faz diferença, pra mim faz toda diferença.

E Paulo quando fala em (Rm14), o que come não condene o que não come, e o que não come não condene o que come..., ele não está se referindo a igreja “instituição”, pois nem existia.

O que ele levanta ali é sobre os costumes judaicos.

Não se da nem para se fazer um paralelo com igreja “instituição”, aquilo foi um aplicativo pra época e com propósito completamente diferente.

A questão é que quando eu falo que faz diferença em estar na igreja partindo do pré suposto que a pessoa aclarou de fato o que é Evangelho, eu me refiro como se fosse qualquer religião.

Não tem lógica, por exemplo, se ficar dando freqüência no espiritismo uma vez que se revelou a verdade do Evangelho.

Assim da mesma forma se a pessoa for do Judaísmo, ou Budismo, ou Catolicismo, ou Islamismo, ou Maçonaria, Mormonismo, Testemunha de Jeová etc.

A religião quer tomar o lugar de Deus na terra, seja ela qual for.

Ela substitui aquilo que Deus planejou para o homem, e se falando de cristianismo, PIOROU.

A igreja quer tomar conta da vinha, ser a detentora, mediadora, e o único acesso ao reino de Deus. Ela tem a chave e liga e desliga.


QUANTA ARROGÂNCIA!

A religião Cristã não forma consciência do que de fato é evangelho a ninguém.

A prova sou eu, fiquei quase 20 anos e não sabia o que era o evangelho, graça, justiça própria, etc.

O que formou em mim todos esses anos foi uma consciência pagã.

Ninguém hoje que está na igreja entende estas coisas.

As pessoas são religiosas, e dentro do raciocínio da religião só querem mostrar serviço, se aparecer, ter poder etc.

No âmbito secular que você coloca e faz um comparativo com o estar em uma religião ou não é bem diferente.

O Brasil é um país não uma religião.

E Paulo deixou tudo pra traz quando encontra com Jesus a caminho de Damasco.

Ele chega a dizer que reputou tudo o que ele havia aprendido na religião como esterco, refugo; em troca da sublimidade e do amor de Cristo.

O Evangelho que Paulo pregava era bem diferente do contexto de hoje.

Ele não tinha a preocupação para com os da igreja “instituição”, pois repito não existia.

Eu sei que tem muita gente que está pensando que o Caminho da graça é uma Igreja.

Que o Caminho da Graça veio para separar o joio do trigo, como você diz.

Sei também que tem gente que pensa que o Caminho da graça tem um endereço. As estações.

E que o Caminho da Graça é só mais um chegou.

Mas o Caminho da Graça na verdade não é nada disso.

Se as pessoas dessem uma chance para ouvir a proposta do Caminho no seu todo, iriam ver que não é nada haver.

Mas não, vão ao SITE do Caio lêem um pedaço aqui outro a cola, assistem uma mensagem pela metade, ou condicionadas, e acabam formulando idéias erradas.

Não querem ouvir a proposta de uma forma organizada, ao contrário especuladora.
Moral, não entende NADA!

O Caminho da Graça veio para resgatar uma mensagem que estava encoberta, adormecida a mais ou menos 1900 anos atrás.

E que mensagem? O Evangelho da Graça simples e sem barganhas.

Um Evangelho para ser vivido na vida, fora dos muros de Jerusalém.
Fora do arraial e sob a vigilância dos fiscais da religião.

O Evangelho que Paulo o apóstolo da graça pregava.

O Caminho só tem um endereço, dentro de um coração quebrantado e contrito.

O Caminho é o Evangelho, o dia que o Caminho deixar de pregar o Evangelho ele deixa de ser o Caminho, e o Evangelho continua sendo Evangelho.

As Estações da Graça são lugares para se falar do Evangelho mais nada.

Não tem vinculo institucional tanto que, pode mudar de lugar como já aconteceu.

As Estações são voltadas para o organismo e não para a organização.

A mensagem do Caminho é o Evangelho da graça, que não cabe na religião.
É formar uma consciência de Evangelho.

É um modo vivente dos cristãos do 1°, 2°, 3° século que viviam suas vidas normais com a consciência de que estava tudo pago que Deus resolveu tudo em Cristo, ou seja, Deus estava em Cristo reconciliando o mundo com sigo mesmo.

E não tinha templos cristãos, pois Jesus não mandou ninguém construir NADA.

Só podia ter vindo da cabeça de Constantino, um pagão com segundas intenções.

Essa mensagem irmão se for pregada em qualquer religião acaba religião.

Imagina uma igreja evangélica ouvir o evangelho, vão dizer que você está louco.

A não ser que se negociar, caso contrário “ACABA”.

Valter não quero fazer a cabeça de ninguém fica a vontade para fazer o que você acha que tem que ser feito.

Mas o que eu estou entendendo de Evangelho com o amadurecimento que me chegou é esse.

O Bita também pensa dessa forma, nós conversamos muito a respeito.
Ele tem sido meu parceiro de caminhada.

O cristianismo morreu dentro de mim, porém estou até a tampa de Evangelho.

No amor de Cristo
Seu irmão e amigo,
Roberto.


O que você achou desta matéria? passe o mouse e vote!

Cair e Rolar é só Começar!

Há poucos anos atrás, determinados acontecimentos em nosso meio seriam vistos e tratados de forma totalmente diferente.

Cair e rolar no “espírito” que hoje expressa santidade e poder, era visto com reservas e quase sempre como falta de equilíbrio.

Não tratar deste tema abertamente é um grave erro, muitos são induzidos a tais atos que, digam-se de passagem, totalmente esquisitos para nossa cultura.

Estas novidades deixam sempre a Palavra como segunda opção, só Ela não satisfaz, não preenche, tem que ter um grand finale!

Precisa rodar pular, cair, babar, etc. o show não pode parar, o Evangelho é pregado como introdução, o místico o mágico a mandinga vai tomando conta do ambiente, o transe vai sendo incentivado, as vidas que vieram sedentas de Cristo, vão sendo desrespeitadas e mais uma vez o templo vai sendo profanado!

O auditório vibra, grita, chora, sai “renovado”, batem palmas e pedem bis!

E assim segue nossa geração, esquecendo-se cada vez mais de como era o culto ensinado por Cristo, uma geração que mais cai do que fica em pé, que mais rola do que anda que prefere fechar os olhos para os verdadeiros valores da Fé.

Seria tão bom se tivéssemos um acompanhamento sério nestas situações, assistir as pessoas envolvidas, ver se o “profeta” é de Deus ou não, fazer prova, documentar testemunhos ou decepções, realizar um trabalho sério, inclusive denunciando falsos “profetas” ou ao menos excluindo estes de nossos púlpitos.

Enquanto isso, a única coisa que normalmente ganham os que caem e rolam, é stress, depressão e uma enorme desilusão.

Ai esta o x do problema, a desilusão normalmente não é com o “profeta”, não é com a “igreja” mais sim com Deus.

Sobra para o pastor local administrar a bucha e não é fácil, porque o profeta, o evangelista ou “avivador” faz o movimento e some, mas as conseqüências ficam.

Não é fácil, porque o surto coletivo já se torna necessário, quando não tem dá aquela impressão de igreja fria, morna e sem graça.

Então como fica? Quem vai pagar o pato e a conta?

O Pato, todos pagam...
A conta... Quem conhece a Verdade a Graça e sabe muito bem que a Palavra é suficiente!

Bibliografia:
nenhuma....



O que você achou desta matéria? passe o mouse e vote!

Mistureba I

É pá e Bola...

Gn. 3:1-7
A queda do homem foi provocada pela astúcia da serpente.
Ela é representada falando de si mesma, mas a bíblia revela posteriormente que se tratava de Satanás falando por intermédio da serpente (2Co. 11.3,14).
Hoje satanás não tem tanto trabalho assim, o homem, tomado pela soberba, mentira, pela busca desenfreada de grandeza, assume o papel de induzir milhares a saborear o fruto proibido, fazendo do tão temido “inimigo” um mero espectador, que bate palma e agradece a mãozinha.



1º Sm 21:10-15
Davi foge da presença de Saul, foi para terra dos filisteus e entre eles deu uma de louco, viu que sua batata ia assar, fugiu primeiramente para a caverna de Adulão, no oeste de Judá, depois para Moabe e de lá voltou para o sul de Judá. Saul perseguia-o arduamente, mas Davi sempre conseguia escapar. Vários dos Salmos foram compostos por Davi neste período.
Tem hora, que sinceramente, só dando uma de louco mesmo, duvido que você já não tenha feito isto, é a famosa politicagem santa, você ouve, vê, te agride, mais faz de conta que não é com você. No caso de Davi, deu tudo tão certo que até Salmos ele escreveu, vale a pena crer que mesmo na crise teremos inspiração do Senhor para superá-la, se não for assim, ai de nós!



Ester Cap. 5 e 7
O Decreto de Hamã
O decreto conclamava a matança de Judeus em todas as províncias.
Ester já tinha completado cinco anos como rainha. O lamento dela: “Não sou chamada à presença do rei há mais de trinta dias” talvez indique que ela já não era a ultima novidade para o rei.
Por isso ela arriscou-se muito ao convidar o rei para seu banquete.
O resultado final foi enforcamento de Hamã, e seu cargo foi entregue a Mordoqueu, primo de Ester.
Assim, o cuidado providencial de Deus por seu povo fica evidente.
O que me chateia nesta história, é que hoje, nossos “reis póstolos”, jamais iriam aceitar ouvir um da ralé, ler um da ralé, se fosse hoje, Ester estaria frita, ia acabar em uma casa de detenção ou hospital psiquiátrico.
Parece que hoje é o tempo em que se calaram as opiniões, sugestões, que as “novidades” para o “rei” só são “reveladas” a ele primeiramente, o que vem de baixo jamais terá efeito, pois a palavra dos “Hamãs” tornou-se mais importante do que a de Deus.



Atos 17:11
Em Beréia fizeram muitos crentes... que bom se todos nós fossemos Bereanos, examinar nas escrituras todos os dias se as coisas que escutamos são assim mesmo.
Hoje se Lê muito pouco a Bíblia, alias pra falar a verdade, ninguém liga muito.
As pessoas se satisfazem pela leitura oficial, na hora da palavra e pela escola dominical, raramente saem disso e o resultado não poderia ser outro, alienação total e total ignorância sobre a Graça.



Atos 17:15-34
Atenas gloriava-se em possuir a maior universidade do mundo, lugar de encontro de toda classe intelectual do mundo, muitos deuses eram adorados lado a lado.
Aqui Paulo teve sua pior acolhida, mas também sua tarefa mais desafiadora. Não foi um fracasso, conforme alguns sustentam, ao contrário, foi uma tradução brilhante de sua mensagem para o pensamento e linguagem helenistas.
Quando leio esta passagem, noto muita coisa em comum, possuímos milhares de cursos teológicos, temos em nosso rol muitos intelectuais, muitos da classe média e alta, também vejo a difícil tarefa de alguns pastores “Paulos”, desafiados todos os dias com metas e sobrecargas ministeriais quase insuportáveis de carregar, muitos cedem, então para fazer acontecer acabam adorando simultaneamente vários deuses, outros aceitam o desafio de viver na Graça de graça, ainda que lhe resulte a perda da honra, da moral ministerial dos créditos, preferem militar por uma comunidade sadia e realmente salva.


Bibliografia:
Manual Bíblico de Halley
Biblia Thompson


O que você achou desta matéria? passe o mouse e vote!

Daniel e Apocalipse 4 * final

Com esta resenha, encerramos nossa série de estudos sobre Daniel e Apocalipse, no menu de Maio, você encontra parte I e II, neste mês já publicamos parte III.

Leia, releia e se tiver algo a acrescentar sobre o tema, nos envie, sua opinião, sua participação será sempre bem vinda.


Na época a perseguição era tão severa, que os cristãos primitivos só poderiam pensar que viviam nos dias imediatamente anteriores ao segundo advento de Cristo.

O Apocalipse, tenta saltar por cima das crises a fim de dirigir a mente dos fiéis para um futuro triunfo sobre os inimigos com o estabelecimento da retidão

A última declaração do apocalipse promete o retorno de Cristo para breve.

Em meio à morte e destruição os discípulos de Cristo esperavam o breve cumprimento das promessas.

O Apocalipse, portanto, foi escrito para encorajar aos cristãos, pois o fim parecia bem próximo, dando esperança aos crentes que sofriam, relembrando-os sobre o mundo eterno que eventualmente seria estabelecido, ao passo que os reinos humanos, caracterizados pela cobiça e pelo poder, seriam reduzidos a nada.

A Igreja estava desesperada, eram perseguidos violentamente, muitos desistiam, neste fundo surge este livro com objetivo de contrabalançar o temor e o medo que naturalmente tomou conta de todos.

Hoje nossa realidade é tão diferente, que ao lermos apocalipse temos aquela sensação que não encaixa, é esquisito e complicado.

Porém é bom lembrar que o livro de apocalipse é o único livro da Bíblia que envolve uma promessa de benção para aqueles que o lerem ou ouvirem.

Lemos ali: “Bem aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo esta próximo” AP. 1:3

Temos entre as mãos uma revelação, o que significa que a mesma deve ser lida; ela nos abençoa pelo que também devemos lê-la, estudá-la. Fala de acontecimentos que breve terão lugar.

O Inspirador e tema central deste livro é o Senhor Jesus Cristo.//Vemo-lo como o Conquistador de todos os males, aquele que nos confere todo o bem.

É mister que ele seja nosso Senhor, pois do contrário é impossível que seja nosso Salvador.


Do Inicio, ao fim:

Principio do principio (João 1:1-3)

Sabedoria (Provérbios 8:22-23)

A Criação das hostes celestiais (Jó 38:7 - Col. 1:16)

Período antes da rebelião de Lúcifer (Gn 1:1 – Ez 28:13. 14)

A criação pré adâmica (os dinossauros) pode estar incluída entre intervalo dos versos 1 e 2 de Gn 1.

Neste período a rebelião de Lúcifer já havia ocorrido, terra em caos. (Gn 1:2 – Jr.4:23)

Águas sobre o firmamento (as nuvens) Gn 1:7 – Firmamento – céus, águas debaixo do firmamento; os oceanos, mares e rios Gn 1:7-9

A criação do homem Gn 1:26, período da inocência até Gn 3:6, depois veio à consciência Gn 3:2

O dilúvio Gn 6:1-8:19.

Torre de Babel Gn 11:1-9

Chamada de Abraão Js. 24:2-3

Moises Hb 1:23-28

Dispensação dos Patriarcas vai de Adão a Moisés Rm 5:13-14.

Nascimento e morte de Cristo I Tm 3:16

Dispensação da lei vai de Moisés a Cristo Jó. 1:17

Dispensação da Graça vai da primeira vinda de Cristo a terra (o seu nascimento) até a restauração de todas as coisas na Sua segunda vinda At. 3:20-21

A noiva de Cristo Ef. 5:27 não passará pela GRANDE TRIBULAÇÃO, ela será arrebatada antes para o céu Rm 5:9, IIPe. 2:9, Lc.21:35-36, AP.3:10, ITs.5:9, Gn.18:22-32.

Sobre a Grande tribulação já especifiquei em Daniel e Apocalipse 3, é só consultar!

O Tribunal, os santos passarão pelo tribunal de Cristo IICo. 5:10.

As Bodas, após o tribunal de Cristo, a noiva irá às Bodas do Cordeiro AP.19:7-9, Ef. 3:14-15

A Glória, os santos contemplarão a Glória de Deus Jô 17:24

Após sete anos no céu a noiva do Cordeiro voltará para reinar com Ele AP.1-5-7, 5:10, 20:6, Zc. 14:5

Dispensação do Reino, a partir da segunda vinda de Cristo até o final do Milênio AP.1:15, 20:4-6.

A terra será purificada para o milênio Is. 40:4, II Pe. 3:10, Ap. 14:18-20

Antes do milênio ocorrerão os julgamentos de Israel Mt. 19:28, e das nações vivas, Mt.25.31-46

O Milênio

No final do milênio ocorrerá à batalha de gogue magogue AP. 20:7-8

Desce fogo do Céu e os consomem AP. 20:9

Fim da terra AP. 20:11

O Grande Trono Branco Ap. 20:11

O Juízo Final AP. 20:12

A Nova Jerusalém AP. 21:9-23

Nova Terra AP. 21:1

Bibliografia:
Bíblia Thompson
EETAD – Daniel e Apocalipse
Mapa Dpg (vendido na Conde por +- R$ 5,00)

Chamados para Vida!

Mano Arnóbio, seja bem vindo em nosso blog, quero agradecer muito pela sua participação, nas próximas matérias nem te apresentarei mais , porque você já é de casa!


Segue na integra:

Aos manos de plantão,

Quero compartilhar convosco o sentimento que invadiu meu coração quando percebi que em Cristo temos paz com Deus.

Isso é mais do que podemos compreender, pois a loucura de Deus é mais sabia que a nossa sabedoria, quem poderá sondá-lo ?

Sabendo que tudo foi feito, me deu a leveza para seguir o chamado para a vida, e essa com abundância!

Na normalidade e seguindo como os primeiros discípulos, que faziam do ajuntamento um momento de troca de vidas, quem possui algo a mais, dava aos outros, como fez Barnabé , ficou notório a todos a generosidade que ele tinha.

Como me entendo resolvido com o Pai , através do sacrifício do filho,não me subjugo a homens, senão para servi-los com amor e vida, sem a neura de fazer algo para me resolver com Deus, pois se assim fizer me assemelharei aos pagãos que viviam tentando aplacar a ira dos seus deuses.

Mergulhei em Cristo pela fé, passo essencial e necessário aos que quiserem viver pela fé em Cristo.

Assim fiz e ando hoje sem a preocupação de agradar ao Eterno com minhas obras mas sabendo que Ele se agrada em me ver em Cristo, uma vez habitado pelo Eterno feito templo para Ele, me ajunto para dividir a vida com os meus pares e não para cultuá-Lo, pois entendi que os verdadeiros adoradores O adoram em espírito e em verdade 24 horas e quando isso esta resolvido agente vive sem precisar pagar pedágio aos donos da religião que querem tomar para si a Vinha que não lhes pertencem.

É assim que me sinto atualmente um pecador convicto que foi perdoado e assim se arrependeu por que Ele me amou primeiro.

“A graça é Deus nos dando o que não merecemos e a misericórdia é Deus retendo o que merecemos “ Brega.
Arnóbio

na Graça de Graça!

Como já disse na postagem Igreja x Desviados 2, considero Roberto, um grande amigo de seminário e caminhada, acho desnecessário daqui pra frente apresenta-lo em novas matérias por ele enviada.

Leiam com calma, tirem suas conclusões, opinem, e não esqueçam de respeitar quem tem opinião diferente da sua!

Segue na integra:


E ai irmão, ó eu ai de novo, quero expor algo que está no meu coração.

“GRAÇA”

Muito tem se falado de “Graça”, inclusive o seu blog tem o titulo de “Caminhando na Graça de Graça”.

Pois bem eu pergunto: O que é Graça?
Será que os evangélicos de hoje sabem o que é Graça?
Será que os teólogos sabem o que é Graça?
E na igreja sabem o que é graça, estão se falando de graça?
Mais uma vês eu pergunto o que é “Graça”.

Sem a pretensão de esgotar o assunto, pois quando se fala de graça o tema é muito abrangente, mesmo assim quero expor algo que está no meu coração.

Paulo é o grande apóstolo da Graça.

Das 155 referências do Novo Testamento à graça, 133 são dele.
A Graça abre as suas epístolas, a Graça as conclui, e a Graça é a nota principal de tudo entre o começo e o fim.
O termo “graça” provém do latim “Gratia”, que é tradução de “Gharis”, em grego, que significa graciosidade, benevolência, benignidade favor ou bondade.

Paulo coloca “Charis” com o significado de favor livremente concedido, empregando o termo especialmente para se referir ao que Deus fez por nós em Jesus Cristo e por meio dele.

Poderíamos dizer que graça é o amor de Deus agindo em nosso favor, dando-nos livremente o seu perdão e a sua aceitação, de uma vez por todas.

“Onde abundou o pecado, superabundou à graça” Romanos (5:20)

A Graça de Deus em Cristo não se resume a uma doutrina, não é uma teologia, não é um fundamento bíblico para ser assimilado intelectualmente, não é mera aglutinação de conhecimento teórico.

Pensar a Graça com essas categorias nada traduz acerca do Evangelho.

Podemos até conceituar o Amor Incondicional de Deus, mas esse amor só será “aprendido” se for “Experimentado”!

Portanto, a Graça é dom de Deus, recebido pela fé (que também é Graça, pois é fruto do trabalho do Espírito Santo na consciência humana), pela revelação da Verdade, que é Cristo Jesus: o Cordeiro sacrificado na eternidade pela culpa de toda criação, antes mesmo que houvesse mundo,
(1Pe 1:20), (AP 13:8).

Ele se manifestou através da Sua encarnação, morte, ressurreição e ascensão acima de todas as coisas; e, foi Ele quem estabeleceu que por Sua Graça se pudesse ter Vida, tanto nessa existência como na Eternidade!

Desse modo, saiba-se que a Graça é tudo e tudo é Graça!

Nenhum passo rumo a qualquer maturidade espiritual pode ser dado senão no caminho dessa Graça.

Já está evidente que a vida dita “cristã” que acontece fora do chão da Graça de Deus só gera doenças espirituais, psicológicas e existenciais.

Gera religião, mas não sedimenta a paz de Deus.

Gera mudanças comportamentais, mas não renova o homem interior.

Pode gerar novos hábitos, mas não assegura um novo coração.

Este texto foi extraído do livro “O caminho da Graça para todos” de Caio Fábio.

Bem como podemos ver, Caio Fábio nos traça um esqueleto sobre o tema, e
que podemos recheiá-lo.

Eu penso que graça sempre existiu, uma vez que o Cordeiro foi imolado antes da fundação do mundo.

E se Deus é eterno e a Graça provém de Deus, logo a Graça é eterna sempre existiu.

Está foi uma forma que Deus providenciou para que o homem pudesse ter vida aqui na terra, pois quando houve a queda do primeiro casal no jardim do Éden, o homem herdou a morte, Paulo diz que o salário do pecado é a morte, logo o homem teria que ter morrido, mas ao contrário permaneceu vivo e Adão morreu com 930 anos e gerou filhos e filhas.

Isto é Graça!

Logo nós somos filhos da graça gozando da Graça que também Adão gozou,
mesmo que esta consciência não seja revelada, discernida, entendida, todos os seres humanos de qualquer credo ou religião, sem exceção gozam desta Graça.

A Graça se revela desde o Antigo Testamento, Paulo escreve que todos pecaram, se todos pecaram como viveram? “Graça”.

E no Novo Testamento ela está explicita, escancarada.
Em todos os passos de Jesus nós vemos Graça.
Nas suas ações, verbalizações, atitudes e gestos.
Tudo em Jesus é Graça, tem Graça e é de Graça.

Jesus é o agente da Graça, a revelação visível da Graça invisível que agia antes do Verbo se manifestar em carne.

Jesus não consentiu no apedrejamento da mulher adultera “Graça”.

Jesus foi cear na casa de Zaqueu, o publicano que para os da religião deveria se excluído da sociedade, “Graça”.

Na parábola do filho pródigo o filho não merecia o perdão do Pai, o que vemos ai, “Graça”.

Jesus curava todos que se achegavam a Ele sem exceção, “Graça”.

Jesus não descriminava ninguém, “Graça”.

Jesus falava a todos os pecadores, publicanos, coxos, parias da sociedade, o que é isso, “Graça”.

Poderia citar outras passagens, mas creio que já deu para sacar.

O que me entristece é que em mais de vinte anos na “Igreja Instituição”, nunca ouvi uma pregação sobre Graça.

Não se fala de Graça na Igreja, seminários, escolas Teológicas etc..

Lógico porque a Graça desmonta a religião, a teologia dos homens, as falácias, os domínios, hierarquias.

Deus é dono de tudo e de todos e resolveu dar este presente a humanidade, e fim de papo.

O homem quer tomar conta da Graça de Deus e transforma em desgraça.

A desgraça que eu falo é a religião começando pelo cristianismo, que quer escravizar as vidas de forma escrupulosa desviando-as dessa Graça.

O evangélico não sabe o que é Graça, os teólogos não sabem o que é Graça, dizem só pela Graça sois salvos, mas, só na teoria, na prática isso não acontece.

A Graça da religião tem pagar, trabalhar “MUITO” para fazer merecer, e nunca acaba o trabalho.

Tem que mostrar serviço, esforço, suar a camisa com presenças dominicais e semanais, campanhas, correntes, vigílias, descarrego, ensaios, festas, congressos, penitencias etc.etc.etc...

Não aceitam o perdão de Deus, não querem a Graça, preferem a subordinação, os trabalhos, o julgo legalista e o fardo pesado.

Penso que o homem prefere tudo isso porque herdou a mentalidade pagã.

No paganismo tem sempre que se estar se pagando algo para os deuses sempre.

Nesse momento convoco a todas as pessoas a aceitarem essa Graça.

Já está tudo resolvido antes da fundação do mundo, é só crer.

Aceitem esse presente de Deus para nós, e vamos experimentar esta “Graça”.

Se todas as pessoas tomarem posse dessa consciência, e passarem a vivenciá-las acaba tudo isso.

Ai eu quero ver os xerifes da religião quebrar a cara.

Ah! Como eu gostaria de ver os templos vazios e os donos da religião com a cara de “BUNDÃO”.

Não ter de quem rancar dinheiro, iriam ter que pegar no basquete.

Desde a época de Paulo até hoje vemos isso, alguns que não gostam do basquete se transformarem em “Charlatões”.

Paulo exortava contra os tais: Quem não trabalha não come!

Gente boa de Deus vamos ler a Bíblia e crer nela!

Ler sem o condicionamento da religião e se verá a Graça de Deus borbulhando em toda a escritura.

Deus deu a oportunidade a todas as gerações desde o princípio e principalmente de Cristo pra cá a viver na Graça, pela Graça a de Graça, agora é a nossa vez.

Caminhemos na Graça de Graça!

Sem mais, Irmão Roberto.

Daniel e Apocalipse 3

As 70 semanas ou 70 “setes”

O esboço é simples, espero que ajude.

O cativeiro babilônico, que então se aproximava do fim, já durara 70 anos, aqui, o anjo informa Daniel de que ainda faltavam “setenta setes” até o advento do Messias Dn 9.24.

Acredito que nenhuma outra afirmação profética seja mais decisiva nos campos da interpretação Bíblica, Apologética e Escatologia.

Só um Deus onisciente poderia predizer com 500 anos de antecedência o dia preciso em que o Messias entraria em Jerusalém e se apresentaria como o Príncipe de Israel.

Alias, este fato derrubou todo argumento dos críticos em relação à autoria deste livro, que negam a possibilidade de elementos preditivos em profecia.

Dn9. 24 – A profecia trata do povo de Daniel e de sua cidade, ou seja, nação de Israel e cidade de Jerusalém.

Dn 9.25-26 – Dois príncipes diferentes são mencionados, no v.25 Messias, o Príncipe e no v 26 príncipe que a de vir.

Dn9. 24 – Todo período envolvido é precisamente especificado como Setenta Semanas, primeiro um período de sete semanas; depois disso, um período de sessenta e duas semanas; e, finalmente, um período de uma semana ( 25,27)

O Inicio da contagem, ou seja, das Setenta Semanas é definitivamente fixado como: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém Dn 9.25.

O fim da contagem das sete semanas mais as sessenta e duas semanas, que somados dão 69 semanas, deu-se quando o Messias, o Príncipe, apresentou-se em Israel Dn 9.25.

Após as 69 semanas, o Messias foi morto e Jerusalém será destruída, algum tempo no futuro pelo povo de um outro príncipe que há de vir Dn 9.26.

Existe um intervalo indeterminado entre a 69ª semana e a 70ª. pelo que entendi a 70ªsemana começará na segunda vinda de Cristo e no arrebatamento da igreja.

Outro sinal da última semana, a septuagésima, será o estabelecimento duma firme aliança ou tratado entre o príncipe vindouro e nação de Israel pelo período de uma semana Dn 9.27.

Essa ocasião, portanto, marcaria o inicio do período de sete anos que também é chamado o período da Grande Tribulação.

O chifre pequeno mencionado no capitulo 8 terá sua ascensão ao poder no referido período e fará um pacto de sete anos com os judeus (Israel)

Esse pacto seria, então, violado depois de três anos e meio e os três anos e meio restantes representariam um período de muita guerra e destruição, levando à grande batalha final do Armagedom.
Ap. 7.14

Ao findar o período total de setenta semanas será inaugurado um tempo de grande benção como nunca houve, para a nação de Israel. Dn 9.24


Continua...

Bibliografia
EETAD – Daniel e Apocalipse
Manual bíblico de Halley
As Setenta Semanas de Daniel Dr. Alva J. McClain – IBR ED. 2002*
Vale a pena comprar este livro, custa +- r$ 7.00 na Conde e trás tudo sobre o tema*.

Mocidade On Line

Antigamente o negócio era empinar pipa, andar de carrinho de rolimã, bater uma bolinha de gude, rodar um pião, etc...

Hoje a rapaziada curte playstation, orkut, jogos on line, etc...

As curiosidades que antes eram explicadas pelos pais ao pé do ouvido, hoje são resolvidas facilmente na informalidade de um click.

Assim vai nascendo uma geração diferente.

Fica difícil definir se isto é bom ou ruim, fato é que este acesso on line, demonizado por muitos, tem servido de escape para milhares de pessoas, inclusive os jovens.

Muita gente sente-se mal com aquilo que vêem e ouvem em sua comunidade, em casa, na escola, etc... Porém temem falar a respeito de forma aberta com seus pais, pastores e lideres, na maioria das vezes, aqueles que assim fazem acabam sendo aconselhados de forma superficial, é como aquela coceira alérgica tratada apenas com um paninho molhado.

Antigamente a coisa parava ai.

Hoje, tranca-se no quarto e tctctctctctctctc, e pronto, forma-se uma nova opinião.

Tudo aquilo que foi reprimido, é posto para fora, descobre-se colegas, faz-se amigos, troca-se idéias sem censuras, e tudo que era tabu, já não é mais, aquilo que a igreja e a família deixaram de explicar, ensinar é suprimido pelo tctctctct, assim descobre-se tudo, nem sempre da forma mais correta.

Este mundo virtual é enorme, não dá para imaginarmos, quando comecei blogar, escutei o seguinte: Pra que isto? Pra que ficar escrevendo em uma M. de bloquinho? Quem vai ler? O que você vai ganhar com isto?

Para minha surpresa em dois meses, já descontando minhas entradas para publicações e manutenção, recebi mais de 400 visitantes, se todos leram o que escrevi, não sei, mais tenho registrado algumas manifestações bacanas, outras nem tanto e pasmem a maioria de jovens!

Muitos jovens e não só eles, buscam respostas para suas aflições e indagações na internet, por quê? Simplesmente porque se tem uma troca de idéias aberta sem politicagem e interesses e o melhor, não se corre o risco de fofocas.

Ninguém conhece ninguém, o que une é apenas a curiosidade o desabafo a vontade de alcançar novas descobertas de ser abraçado de se sentir incluído, importante, etc...

Quando formos apenas nós, despidos de cargos ou profissões, conseguiremos escutar e respeitar mais as pessoas, suas limitações e sonhos, assim nos aproximarmos dessa “galera” ganhando sua confiança e amizade.


Falo isso como pai, é fácil julgar e burrocratizar a vida dos outros, o difícil é lembrar que nós também passamos por fases, erramos e hoje condenamos com a maior cara de pau, com critérios que nos condenariam também.

Falo isso principalmente por entender que em Cristo a forma de ouvir, “julgar” e aconselhar é bem diferente da nossa.

Sim, para mim em Cristo, eu tenho toda referência de como agir!

Entender sua história, seus atos, suas palavras é a chave para mudarmos tudo em nossas vidas, inclusive a forma de aconselhar nossos jovens.


Bibliografia:
Marcelo & Eunice

Arnobio disse...

Interessante as considerações deste mano amigo

fica registrado

Marcelo

Igreja x Desviados 2

O que segue são considerações de um grande amigo de seminário e caminhada, sobre matéria que postei no blog em Maio com o tema Igreja x Desviados.

Como é extenso, resolvi publica-lo em destaque, sugiro que leiam antes a matéria original.

Leiam com calma, tirem suas conclusões, opinem, e não esqueçam de respeitar quem tem opinião diferente da sua!

Segue na integra:



CARO AMIGO E IRMÃO MARCELO

Eu entrei em seu blog, e por sinal muito bem organizado e vejo que você é uma pessoa muito esforçada, com muita vontade, porém quero fazer alguns comentários a respeito do tópico que me chamou a atenção pelo título de “Igreja x Desviados”, e por não conseguir responder pelo próprio Blog por isso postei no seu MSN. Li com muita atenção, e pude ver a sua preocupação para com os desviados da igreja enfim.

Primeiro: Você disse que igreja é "EKKLESIA" os chamados para fora e de fato é.

Hora se igreja "EKKLESIA" são os chamados para fora, logo a Igreja somos nós os chamados, pois bem pergunto: Como pode a igreja se desviar da igreja partindo do princípio que a igreja é nós?

O que eu quero dizer é que dentro do “evangelho” não existe desviados, porém da “religião” sim, seja ela qual for começando pelo Cristianismo, ou Budismo, ou Judaísmo, ou Islamismo, ou Espiritismo, ou Hinduísmo, ou Catolicismo etc...

Quero acrescentar algumas coisas sobre a visão de Igreja:

Igreja de fato são os chamados para fora "EKKLESIA", do grego, nós aprendemos lembra!

EKKLESIA era a assembléia grega para resolver problemas da sociedade grega, uma assembléia pagã.

Pois bem quando Jesus usa esta palavra em Matheus que é a única vez que aparece nos evangelhos, ele quis dizer a minha EKKLESIA, pois havia várias,”ou seja,”, a minha assembléia, os que me segue, a minha galera, a minha gente, que juntos ou separados, separados ou juntos,juntos estão pela mesma consciência do evangelho o qual a cabeça é Cristo.


Uma vez chamado, chamado para sempre se está!
Não se desvia da EKKLESIA de cristo uma vez que se toma conhecimento dessa consciência, você pode estar em qualquer dos cinco continentes da terra, você será sempre igreja e parte da igreja, e o cabeça será sempre Cristo.

Paulo todas as vezes que ele se refere à igreja de Cristo, ele se referia as os irmãos, as pessoas.

EKKLESIA nunca é usada para designar um prédio, como na palavra portuguesa, ao contrário, é o encontro de cristãos para cultuar e falar do Evangelho (1Co 11:18, 14:19, 28,35).

Pode ser designado também a um encontro de crentes que se reúnem em uma casa: “Saudai também a igreja que está em sua casa” (Rm16: 5 1Co16: 19 Cl 4:15, Fi 2).

Pode também ser designada a totalidade dos crentes que vivem em um lugar: “Recomendo-vos, pois, Febe, nossa irmã, a qual serve na igreja que está em Cencréia” (Rm 16:1), em Laodicéia: “E quando esta epístola tiver sido lida entre vós, fazei que também seja na igreja dos laodicences...
(Cl 4:16), ou nas cidades da Judéia: “E não era conhecido de vista das igrejas da Judéia, que estavam em Cristo” (Gl 1:22), e na Galácia “... e todos os irmãos que estão comigo, às igrejas da Galácia...” (Gl 1:2).

O apóstolo Paulo faz uso desse termo como à totalidade de todos os crentes em suas epístolas (Cl 1:8, 24), (Ef 1:22, 3:10, 21, 5:23-25, 27, 29,32),
(1Co 12:28), (Gl 1:13), (Fl 3:6) etc.

Poderia citar muitas outras passagens, mas estas bastam para esclarecer que igreja somos nós.


E mais só existe uma Igreja "EKKLESIA" de Cristo.

Segundo: Quando você diz que a igreja instituição é um projeto de Deus, um sonho de Deus, e o problema são quando cai na mão de pessoas erradas, me perdoe irmão, mas você está errado.

Igreja instituição não é um projeto de Deus, nunca foi e nunca será.

Você concorda que se fosse, Jesus mandaria os discípulos construir templos, mas não pelo contrário Jesus disse que o que tinha seria destruído.

O problema é que quando Constantino constrói o primeiro templo cristão por volta do 4° século, ele usurpa o nome "EKKLÈSIA", e o nome perde o significado "REAL", e passa-se a ser atribuído ao templo.

Hoje quando se passa em frente a qualquer templo se diz: Olha ai a Igreja, mas na verdade não é e nunca foi, e nunca será a EKKLÉSIA de Cristo, ainda que queiram usurpar até hoje o nome.

E ai não sendo a Igreja de Cristo acontece tudo que você disse e muito mais.


Hoje o que tem que ser feito é avisar aos desviados que não estão desviados do evangelho, e nem tão pouco da Igreja de Jesus, dentro desta consciência de Evangelho da Graça, e mais que está tudo pago "TETÉLESTAI".

E os que não derem para nós avisarmos, descansa, pois o negócio não é nosso é de Deus, e sendo de Deus está sob controle.

Disse o poeta: Não fale nada, não de palpite, tudo que você disser só iria estragar o quadro. “Silêncio” o Mestre está pintando, e ele sabe o que está fazendo, você tem duvidas? Descanse.

Estou falando tudo isso a você com conhecimento de causa, pois outrora eu também estava na galeria dos desviados.

Achava que iria para o inferno se caso não voltasse pra igreja “instituição”.

Encontrava com os irmãos e vivia me desculpando por não estar na igreja.

Quando não me escondia para não ter que dar explicações sobre a minha vida.
Eu vivia uma paranóia (Psicopatia crônica causada por síndrome de perseguição), era horrível.
Mas eu queria Jesus na minha vida, não queria aquele julgo pesado, regras sobre regras, uma moral nojenta, pesada, um legalismo louco, cada um falava mal do outro, um querendo puxar o tapete do outro, e ninguém sabia nada, mas o que eu tinha como referência de religião era isso, ter Deus era pertencer a uma igreja “Denominação”.

Até que um dia eu voltei, com muito custo e lágrimas de sangue, foi duro em!
Isso que eu estou te contando foi de 1989 a 1999, são dez anos que eu fiquei fora da igreja “instituição”.

Se nesse período eu tivesse encontrado alguém para me esclarecer sobre o que era evangelho de fato, eu não teria sofrido tanto em relação a minha fé, a Reino de Deus etc.

Mas pelo contrário eu vivi dez anos na minha vida com a marca de Caim, e querendo Deus.

Meu irmão eu sei que é duro dizer isso, mas “Igreja instituição” não tem nada a ver com o evangelho. As nossas escamas caíram e você sabe onde tudo começou.


A cada aula que nós tínhamos, principalmente de história, éramos desinstitucionalizados, a igreja foi desmistificada, ela caiu do cânon, assim como todos os elementos que a constitui.

E depois por último com a informação do caminho da Graça, só veio a ratificar tudo o que eu já estava vendo, e somou com mais informação e elucidação do que de fato é evangelho.

Glória a Deus pela vida do irmão Caio Fábio que nos conduziu e conduz qualquer que se proponha a entender e ser do evangelho.

Agora você entende aquilo que você pensava que era grave não é, graças a Deus que estas pessoas saíram das Igrejas “Instituições”.

Estão com o coração molinho e sedento do evangelho de Jesus, agora é à hora para falarmos a quantos desviados das religiões aparecer e tivermos oportunidade, seja a religião que for começando pelo cristianismo, e não mandarmos de novo para as instituições para começar tudo de novo, aquela paranóia louca, o caminho do “Ramister” em circulo, trabalhos infindáveis, barganhas e mais barganhas.

Não se desmonta essa estrutura fenomenal de um dia para o outro, e nem tão pouco em longo prazo.

O circo está armado já há 1700 anos mais ou menos.

Nem o próprio Deus quer mexer com isso, já está tão feito, tão montado, estruturado, o mastro está firme, o picadeiro com varias atrações: Mágicos fazendo o dinheiro sumir, os palhaços fazendo o publico se gargalhar de rir, o trapézio, globo da morte, dançarinos etc...

Na igreja ninguém cresce, ser igreja sim.

Na igreja não se constrói uma consciência, sendo igreja se constrói.

Na igreja se entrega sua alma aos xerifes, sendo igreja você é sacerdote e.
tem um pastor Jesus Cristo.

Na igreja você tem que dar freqüências dominicais e semanais para mostrar serviço, sendo igreja Jesus o convida a caminhar pela calçada da graça do evangelho e ser livre.

Na igreja tem que se pagar as indulgencias pelos serviços prestados, ser igreja está tudo pago não se precisa dar mais nada “TETELESTAI”.

Percebe irmão a diferença é grande em ir à igreja e ser igreja.

Não convém nem deixar aquela reflexão que você escreveu para não constranger os tais.

Até entendo o esforço do rapaz que fez a reportagem, Luiz Montanini, mas um trabalho equivocado e de inversão de valores, e falta de discernimento.

O que ele mostrou na verdade com os dados estatísticos denuncia ainda mais as instituições, e mostra a insatisfação e decepção das pessoas que passam pelas igrejas, e a falência das instituições em não conseguirem manter seus adeptos funcionários.

O que poderia esperar de um projeto fraudulento, que está corrompido em nome de Deus!

Agora eu entendo o que Jesus quis dizer que veio não para trazer paz, mas dissensão, e os inimigos do homem seria os da própria casa, e os da religião.

É preciso muita coragem para fazer como Paulo que jogou tudo fora, na lata do lixo o que ele havia aprendido na religião tendo como esterco em troca de Cristo e partiu do zero.

Entendo também quando disse Jesus: Pai graças te dou por não ter revelado estas coisas aos sábios, mas aos pequeninos.

Eu vejo que quanto mais religioso, mais teólogo, mais cargo, mais dono do negócio, mais difícil de aceitar esse evangelho, que é tão simples.

Eles querem um evangelho difícil, de trabalhos, de barganhas, de visões múltiplas, de intelectualidade e religiosidade.

Viva o Evangelho de Jesus que constituiu os desviados inclusos, e os inclusos desviados.

Acho que já falei demais meu irmão. Mais uma vês, “DESCANÇA”.

Seu amigo e irmão em Cristo “Roberto”.

Cristo foi subversivo ?

Segundo dicionário Wikipédia on line subversivo significa:
Um transtorno, uma revolta; principalmente no sentido moral.
Tambem refere-se a: oposição e clandestinidade

Leia o texto, e tire sua conclusão:

Lucas 9:18-20

Uma vez Jesus perguntou:
-Quem os homens dizem que eu sou?

Era tão forte o sentimento em Nazaré, de que este filho de um carpinteiro não tinha espaço para fazer o que estava fazendo ao pregar, que até o expulsaram da sinagoga.
(Lucas 4:28 e 29)

Para os padrões daquela época ele estava fora de si, agia de forma subversiva.
(Marcos 3:21)

O fato é que Jesus continua sendo o ponto de partida da história real de bilhões de pessoas.

Quando chegou a hora, disseram lhe “Eles não tem mais vinho”.
Assim Ele transformou água em vinho (e dos bons)

A história espalhou-se

Depois pregou ao ar livre, em sinagogas, em jardins, em casas, etc...

Sempre, sua palavra era simples e envolvente.

Cada palavra sua tinha a finalidade de incentivar aos ouvintes a prestar mais atenção à imediata presença de Deus.

Porém sempre no meio da multidão, estavam os maus intencionados, sempre tentando apanha-lo.

Logo sua fama cresceu,seus atos, eram narrados de boca em boca desde crianças até aos idosos, muitos começaram a sonhar com a libertação de Israel.

Suas palavras aliviavam a tremenda opressão que os pobres e escravos passavam.

A ordem agora com Cristo era igualdade!

O que antes era exclusivo, separado, difícil, passou a ser oferecido de graça, pela graça.

Os médicos, muitas vezes ficaram sem explicações, os sábios se confundiram como Cristo encarava as multidões, homens, mulheres, crianças, em sua maioria pobre, doente, coxa, que vinha a Ele, pedir a cura.

Apelidaram Jesus de curandeiro, mendigo, mentiroso, mais, mediante a tantos fatos, não tiveram alternativa, a não ser matá-lo.

O que estava acontecendo era assombroso:

As mulheres, tão descriminadas, tornaram-se o grupo seleto.
Os defuntos ressuscitavam
Coisas simples,tornavam-se as mais importantes, como a atitude, não em tamanho mais a intensidade.

O catalogo da morte começou a ser rasgado

Interessante que Cristo não seduziu os apóstolos, com esperanças ilusórias e nem é isto que eu vou falar e fazer aqui.

Deixou claro que agora haveria novas regras:
Em vez de julgar – amar
Em vez de condenar-amar
Em vez de criticar – amar

Todas as pedras deveriam ser guardadas
E cada um deveria agora olhar para os seus próprios defeitos.

Assim nasce o cristianismo

Cristo morreu, mais antes foi torturado com pior chicote.

Nu, indefeso, como no dia que nasceu.

A gritaria era tremenda: Crucifixa-o

Ele experimentou o profundo da rejeição

As mulheres assumiram seu funeral

Para surpresa de muitos, conforme prometeu, Ele ressuscitou.

Foi por nós, sim foi por todos nós, sem exceção!

Hoje estudamos sobre Ele, debatemos, fazemos conferencias, estabelecemos regras, e o resultado de tudo isto, fica bem longe daquele sonho vivido por aquele homem simples de Nazaré, que veio para trazer amor, liberdade e paz!

“Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem”
João 13:17

Bibliografia:
Bíblia de referência Thompson Ed. 2005
O julgamento de Jesus – Gordon Thomas /ed. Thomas Nelson Brasil Ed. 2007
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...