Afinal o que é Adoração????

Adoração significa:

1 - Render culto
É o ato de se render reverentemente a Deus física e espiritualmente como forma de culto e devoção.
A Bíblia afirma categoricamente que só Deus é digno de tal honra Ex. 20:4 e 5.

2 – Amar muito*
3- Gostar muito*
*Ex: mãe, pai, marido, tio, etc...
É normal e até uma questão de costume dizer que adora fulano ou cicrano ou uma comida, roupa etc... Sem necessariamente ter o significado da adoração citada no item 1.

Mas afinal na prática o que é adoração?
Servi-lo com exclusividade!
É a vida em confiança e gratidão; é amar a soberania e a majestade de Deus, nada, além disso.

O verdadeiro adorador, sabe que não existe hora marcada para cultuar a Deus, todo tempo, é tempo de louvá-lo Sl. 34:1

Jesus não chamou adorador, pois Ele queria discípulos!

O discípulo, portanto, não tem nem que pensar em adoração, visto que tudo o que faz é adoração!

Quando se esta cheio da graça, tudo é adoração, tudo é orar sem cessar, tudo é em Deus.

O momento de cânticos ou de louvor ou contemplação, apenas faz parte do culto.

Seu louvor, sua adoração deve acontecer não só em um período do culto de domingo, isto é algo muito sério.

Você acostuma adorá-Lo em um momento, sempre vinculado as ocasiões oficiais, na hora da musica, orações, cultos, vigílias, etc...

Cria-se o péssimo habito de marcar hora para isso, falamos:
“Agora vamos louvar, adorar, ouvir a palavra.”

Quando marcamos hora, em geral Deus não aparece!

Adorem na cama, na rua, seus atos dizem mais que palavras ou performances na igreja.

Seja discípulo, gente que adora a Deus conquistando, aprendendo, apanhando, sofrendo, sendo esmagado e refeito, tudo no caminho!

Interessante que desde o inicio, Deus exigiu exclusividade na adoração e no culto, porém um dos maiores problemas desde a antiguidade até hoje é que esta exclusividade foi deixada de lado.

Misturaram o respeito com adoração e assim começaram adorar e cultuar a reis, imperadores, monarcas, o corpo a beleza, dinheiro, etc...

Os mortos também entraram nesta lista, animais e a mais praticada hoje: a auto adoração.

Começaram a adorar mais a adoração do que a Deus, invertendo a ordem da exclusividade, dando assim um significado bem diferente para adoração e os cultos.

Em nome desta adoração louca os Judeus entregaram Jesus aos romanos para que esses o executassem.

Em nome da mesma adoração louca, os Cristãos judiaram dos Judeus de todos os modos e formas possíveis, culminando no holocausto da II guerra.

Quantas vezes em nome desta mesma adoração louca nos omitimos da verdade, e o pior, acabamos reconhecendo somente o Evangelho que chega personalizado, conforme nossas necessidades e sonhos.

Adorar a Deus é mais importante do que adorar a adoração.

Não substitua o sacrifício de Cristo por nada!

Não tenha pretensão maior que a comunhão, a oração, a adoração, a busca da Palavra e a sinceridade de ser para Deus.


Bibliografia:
Site Caio Fabio WWW.caiofabio.com.br
Dicionário Champlin, Hagnos ano 2005 – Champlin, Russel Norman

E-mail para o apóstolo Paulo




Amado apóstolo:

Estou escrevendo para colocá-lo a par da situação do Evangelho que um dia você ajudou a propagar para nós gentios, e que lhe custou a própria vida.

As coisas estão muito difíceis por aqui.

Quase tudo o que você escreveu foi esquecido ou deturpado.

Você foi bastante claro ao despedir-se dos irmãos em Éfeso, alertando que depois de sua partida lobos vorazes penetrariam em meio à igreja, e não poupariam o rebanho [1]. Palavras de fato inspiradas, pois isso se concretiza a cada dia.


Lembra-se que você escreveu ao jovem Timóteo, que o amor ao dinheiro era a “raiz de todos os males”[2]? Quero que saiba que suas palavras foram invertidas, e agora se prega que o dinheiro é a “solução” de todos os males.

Também é com tristeza que lhe digo que em nossa época ninguém mais quer ser chamado de pastor, missionário ou evangelista, pois isso é por demais humilde: um bom número almeja levar o título de apóstolo.

Sei que em seu tempo, os apóstolos eram “fracos… desprezíveis… espetáculo para os homens… loucos… sem morada certa… injuriados… lixo e escória” [3].

Agora é bem diferente.

Trata-se de uma honraria muito grande: acercam-se de serviçais que lhes admiram, quando viajam exigem as melhores hospedarias e são recebidos nos palácios pelos governantes.

Eles não costumam pregar seus textos, pois você fala muito da “Graça” e da “liberdade que temos em Cristo” [4].

Isso não soa bem hoje, pois a Igreja voltou à “teologia da retribuição” da Antiga Aliança (só recebe quem merece), e liberdade é a última coisa que os pastores querem pregar à suas ovelhas.

Você não é bem visto por aqui, pois sempre foi muito humano, sem jamais esconder suas fraquezas: chegou até reconhecer contradições internas, dizendo que não faz o bem que prefere, mas o mal, esse faz [5].

Eles não gostam disso, pois sempre se apresentam inabaláveis e sem espinhos na carne como você.

A presença deles é forte, a sua fraca [6], eles são saudáveis, você sofria de alguma coisa nos olhos [7], eles jamais recomendariam a um irmão tomar remédio, como você fez com Timóteo [8], mas aqui eles oram e determinam a cura – coisa que você nunca fez.

Você dizia que por amor de Cristo perdeu “todas as cousas” considerando-as refugo [9].

As coisas mudaram, irmão.

Agora cantamos: “Restitui, quero de volta o que é meu!”.

Vivo em uma cidade que recebeu o seu nome, e aqui há um apóstolo que após as pregações distribui lencinhos vermelhos encharcados de suor, e as pessoas levam pra casa, como fizeram em Éfeso, imaginando que afastarão enfermidades [10].

Sim, eu sei que você nunca ordenou isso, nem colocou como doutrina para a igreja nas epístolas, mas sabe como é o povo….


Admiro sua coragem por ter expulsado um “espírito adivinhador” daquela jovem [11], embora isso tenha lhe custado a prisão e açoites.

Você não se deixou enganar só porque ela acertava o prognóstico.

Hoje há uma profusão de pitonisas e prognosticadores no meio do povo de Deus, todavia esses espíritos não são mais expulsos, ao contrário, nos reunimos ansiosos para ouvir o que eles têm a dizer para nós.


Gostaria de ter conhecido os irmãos bereanos que você elogiou.

Infelizmente, quase não existem mais igrejas como as de Beréia, que recebam a palavra com avidez e examinem as Escrituras “todos os dias para ver se as coisas são de fato assim”[12].

Tem hora que a gente desanima e se sente fragilizado como Timóteo, o seu companheiro de lutas.

Mas que coisa bonita foi quando você o reanimou insistindo para que reavivasse “o dom de Deus” que havia nele [13].

Estou lhe confessando isso, pois atualmente 90% dos pregadores oferecem uma “nova unção” para quem fraqueja.

Amo esta sua exortação, pois você ensina que dentro de nós já existe o poder do Espírito, dado de uma vez por todas, e não precisamos buscar nada fora ou nada novo!

Nossos cultos não são mais como em sua época, onde a igreja se reunia na casa de um irmão, havia comunhão, orações, e a palavra explanada era o prato principal…. as coisas mudaram: culto agora é como fosse um show, a fumaça não é mais da nuvem gloriosa da presença de Deus, mas do gelo seco, e a palavra é só para ensinar como conseguir mais coisas do céu.

O Espírito lhe revelou que nos últimos tempos alguns apostatariam da fé “por obedecerem a espíritos enganadores” [14].

Essa profecia já está se cumprindo cabalmente, e creio que de forma irreversível.

Amado apóstolo, sinto ter lhe incomodado em seu merecido descanso eternal, mas eu precisava desabafar.

Um dia estaremos todos juntos reunidos com a verdadeira Igreja de Cristo.

Maranata!

Pr. Daniel Rocha

[1] At 20.23 [2] 1Tm 6.10 [3] 1Co 4.-9-13 [4] Gl 2.4 [5] Rm 7.19 [6] 2Co 10.10 [7] Gl 4.13-15 [8] 1Tm 5.23 [9] Fp 3.8 [10] At 19.12 [11] At 17.18 [12] At 17.11 [13] 2Tm 1.6 [14] 1Tm 4.1


créditos: http://thiagomendanha.blogspot.com/

Bono




"Para mim é algo extraordinário que os Estados Unidos consigam levantar US$700 bilhões para salvar Wall Street e todo o G8 [países mais ricos] não consigam US$25 bilhões para salvar 25.000 crianças que morrem todos os dias de doenças que podem ser erradicadas".


It's extraordinary to me that the United States can find $7 $700 billion to save Wall Street and the entire G8 can't find $25 billion dollars to saved 25,000 children who die every day from preventable diseases."


crédito: http://volneyf.blogspot.com/

QUANDO A IGREJA SE TORNA UM INSTRUMENTO DE OPRESSÃO

Grandes reformadores protestantes como Martinho Lutero e João Calvino defenderam a idéia de que a verdadeira igreja do Senhor Jesus é “universal” e “invisível”, formada por todos os cristãos verdadeiros espalhados por toda a terra.

A idéia da invisibilidade é utilizada, porque não se pode ver a condição espiritual dos corações das pessoas, por isso a igreja invisível é a igreja como Deus a vê e não como os seres humanos a vêem.

É claro que a igreja de Cristo tem seu aspecto visível, especialmente quando institucionalizada.

Porém, não se pode afirmar que todos os membros da igreja visível são salvos, pois conhecer o coração das pessoas é um atributo exclusivo de Deus.

Quando a Bíblia usa a expressão “Reino de Deus”, sua aplicação principal é em relação ao “domínio que Deus exerce nos corações das pessoas”.

Este domínio espiritual e invisível é que forma a igreja invisível.

Quando certa vez Jesus foi interrogado acerca da vinda do Reino de Deus, Ele disse: “O Reino de Deus não vem com aparência exterior.

Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali!

Porque eis que o Reino de Deus está entre vós” (Lucas 17.20,21).

Mesmo cientes desse aspecto invisível da igreja de Cristo, não podemos jamais retirar o valor da igreja visível, institucionalizada, pois ela é um instrumento poderoso de Deus para congregar a igreja invisível e todas as demais pessoas desejosas em conhecer a mensagem soteriológica.

Entretanto, longe de criticar a existência da igreja física e visível, pois a considero uma necessidade, desejo incentivar uma reflexão acerca da possibilidade da igreja visível estar sendo utilizada como “instrumento de opressão”, quando, na verdade, ela deve servir como “instrumento de bênçãos” a todos.

O judaísmo farisaico, da época em que Jesus exerceu seu ministério terreno, procurava impor um “domínio religioso” sobre as pessoas, domínio este criticado por Jesus que disse: “Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los” (Mateus 23.4).

A opressão religiosa era tamanha que impedia as pessoas de viverem uma verdadeira religiosidade que os aproximasse de Deus.

Jesus repreendeu escribas e fariseus da sua época dizendo: “Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o Reino dos céus; e nem vós entrais, nem deixais entrar aos que estão entrando” (Mateus 23.13).

Infelizmente esta “perniciosa prática religiosa” ainda se repete nos dias atuais, todavia com “novas roupagens”.

A opressão legalista ainda impera em muitas igrejas institucionalizadas.

O “abuso do poder eclesiástico” e “abuso da autoridade eclesiástica” têm se tornado práticas costumeiras.

Muitas igrejas físicas deixaram de se tornar um local agradável, para onde as pessoas oprimidas pelo mundo poderiam se dirigir para buscar alívio, tendo sido transformadas em verdadeiras “prisões de almas”, onde as pessoas se tornam cativas ao invés de libertas.

Mas a mensagem do Evangelho de Cristo é libertadora, pois oferece a todos a oportunidade de servirem a Deus, assumindo a responsabilidade por seus próprios atos, livres do controle e opressão de atitudes humanas ditatoriais e egoístas.

Paulo disse aos irmãos gálatas: “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão” (Gálatas 5.1).

Mas acima de tudo isto, o Espírito Santo ainda procura fazer arder nos corações de todas as pessoas a esperança libertadora do Evangelho, oferecida pelo Senhor Jesus que disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mateus 11.28-30).

Pr. Jorge Carvalho – Lages/SC.
http://cosmovisaocrista-arquivo.blogspot.com/


Opinião do Blog:
Tem gente que adora ser zumbi, deixa a Bíblia em segundo plano, a prioridade é resolver-se com seu líder, ele estando certo ou errado, agradá-lo trás paz e uma sensação de dever cumprido com Deus.

Não tenho duvida, logo terão o que merece!

Porque a Religião teme a Verdade?



A grande arma da religião contra o ser humano é a proibição do pensar!

A idade média e o clero são minhas testemunhas.

Com medo dos frutos percebidos, oriundos de uma relação “singela” com Deus, a idéia religiosa é: pensar a fé é atitude de incrédulo, cabe ao seguidor apenas obedecer.

A teologia, ciência eleita pelo homem para promover o conhecimento do caráter de Deus, através de seus atos revelados nas Escrituras Sagradas, tem sofrido muito nas mãos da sanguinária religião – até mesmo daqueles que falsamente se dizem, da teologia, grandes aliados.

Alguns dizem que todos podem pensar, mas, deve-se obedecer aos limites e outros são mais radicais ao dizer que a fé não pode ser pensada apenas “experimentada”.

Pressupõe-se que fé é acreditar naquilo que se entende por verdadeiro, por exemplo: creio em Cristo, pois acredito ser Ele o Filho de Deus e salvador da humanidade.

Ora, como podemos saber, ou ao menos crer naquilo que é verdadeiro, se não pelo viés da cognição (conhecimento).

Mas, como nasce o conhecimento?

Há apenas duas respostas, ou melhor, uma resposta composta por dois elementos: Experiência e raciocínio.

Toda experiência deve ser raciocinada, tão logo, todo raciocínio deve, de preferência, ser experimentado.

Já dizia Jesus: “Conhecereis (raciocínio) a Verdade e a verdade vos libertará (experiência)”. (Evangelho de João, capítulo 8, versículo 32).

Um grande problema do homem é que ele, como um ser dotado de sentidos, e pós - modernamente falando, um ser altamente sentimental, prefere o sentir em detrimento do pensar - o caminho dos sentidos é mais benéfico, mais gratificante, ou seja, um caminho mais fácil para se alcançar um objetivo - o primeiro casal do mundo, também sofreu com tamanha problemática humana - porém, seus efeitos são péssimos, ainda que os sentidos estejam bem treinados, simplesmente por serem humanos.

Outro “defeitinho” é o cinismo; digamos que “naturalmente” o ser humano é cínico.

Os fariseus são o modelo ideal de pessoas cínicas (sepulcros caiados); a religião invés de “anular” o cinismo do homem, tornando-o num ser mais “transparente”, faz dele ainda mais cínico.

É o famigerado jeito de ser promovido pela aparência, é o estar sem estar, sentir sem sentir, acreditar sem acreditar, ou seja, uma vida definitiva e genuinamente hipócrita.

Portanto, as perguntas não se calam:

Por que a religião teme o conhecimento e/ou Por que a teologia é tão agredida pela religiosidade?

A resposta é simples e inteligente, porque ela, a religião, é um produto humano, portanto, melhor é sentir, ou ao menos, fingir que se pensa, do que realmente pensar.

Opinião do Thiago Meldanha (blog tomei a pílula vermelha)

O que o texto afirma pode ser comprovado pela vivência de cada um tão logo desperte para as incongruências e falácias da Religião.

O fato de começar a questionar e repensar o que colocam na sua frente e esperam que seja aceito sem nenhuma resistência, mostra a verdadeira face da religião agindo nos religiosos, seus agentes.

Você experimentará, tão logo, dedos em riste, acusações, calúnias, intrigas, chocarrices, condenações, rejeição e alienação por parte dos que não aceitam que você pense, e consequentemente conheça a Verdade, e por fim, se veja LIVRE, de fato, como Cristo o disse!



Opinião do Blog:
Conhecendo e colocando a Verdade acima de tudo e de todos os interesses, porque em nome da "moral" viver a mentira o engano? Porque não ter a Bíblia como mapa e bula?

fonte: http://celebraii.blogspot.com

O que é ser crente hoje?



Durante muito tempo fomos taxados de excêntricos, retrógrados e demais epítetos que caracterizavam basicamente um estilo de vida incomum para os padrões brasileiros de liberdade e religiosidade.

Hoje somos só os crente, os bíblia, os hipócritas, os mentirosos.

Não defendo esta ou aquela denominação, não defendo a minha denominação, o que busco entender é porque estamos tão longe da simplicidade do Evangelho, não é preciso ser nenhum teólogo formado, para saber que o maior desejo de Cristo nas suas entrelinhas era de transformar nosso caráter deformado pelo pecado no caráter de Deus.

Mas hoje o caráter é a ultima coisa a ser transformada.

Hoje ser crente é basicamente não ser católico e só!

Medo de que? do diabo!?

Nada, temos medo dos outros crentes, dos "poderosos intocáveis", e, pelo medo, admitimos o pecado dentro da casa.

Eu não pretendo ser mais correto, nem levantar a bandeira da santidade convencional, que já está hasteada, só acho que como vocacionado, engolirmos passivos todas essas mazelas hoje, amanhã certamente acordaremos desse sonho que é a "igreja avivada brasileira" (tudo minúsculo pois não é essa a Igreja Avivada de Deus), perceberemos que tudo não passou de folia e discursos vazios partidos de nós os que sabem o que fazer o bem mas não o fazemos.

Eu tenho dificuldades para entender a passividade que nós crentes temos de ser verdadeiramente crentes em determinadas situações, penso que as tais situações são motivadas por razões moralmente condenáveis em nosso Livro de Regra tão alardeadamente citado como orientador das nossas decisões no entanto,elas são fortes o suficiente para serem colocadas em um campo neutro do nosso crivo pseudo-moral evangélico.

Uma nova reforma está a caminho, o problema é que os reformadores ainda não se levantaram, e os crentes brasileiros, proponentes a essa reforma se dividem em dois grupos insossos:

Os que não entendem porque são crentes e agem como se não fossem um.

Estes estão envolvidos por uma aura que os impede de sentir as dores que nunca deixaram de existir no mundo, e muito menos de se compadecer pelos que sentem essas dores.

A vida gira em torno deles e não de Deus.

Os que sabem que são crentes, mas estão entorpecidos demais com tanta "benção" espiritual, tanto mover, tanto vento forte soprando sobre suas frontes, que não são capazes falar aos crentes do primeiro grupo que estão no caminho errado, pois tem medo deles se voltarem contra e perderem a "benção".


Opinião do Blog:

Excelente texto, quem tiver ouvido que ouça, naquele dia não terão como dizer que não foram alertados.


créditos: http://thiagomendanha.blogspot.com/

Não sabemos o que é Igreja




Igreja não é templo, não é sinagoga, não é mesquita.

Não é o santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus.

Igreja é gente, e não lugar.

É a assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornam crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas; de apáticos que passam a ter sede do Deus vivo; de soberbos que se fazem humildes; de desgarrados que voltam ao aprisco.

Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única coisa não diferente na Igreja é a fé em Jesus Cristo.

A Igreja não é igreja ocidental nem igreja oriental.

Não é Igreja Católica Romana nem igreja protestante.

Não é igreja tradicional nem igreja pentecostal.

Não é igreja liberal nem igreja conservadora.

Não é igreja fundamentalista nem igreja evangelical.

A Igreja não é Igreja Adventista, Igreja Anglicana, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Congregacional, Igreja Deus é Amor, Igreja Episcopal, Igreja Holiness, Igreja Luterana, Igreja Maranata, Igreja Menonita, Igreja Metodista, Igreja Morávia, Igreja Nazarena, Igreja Presbiteriana, Igreja Quadrangular, Igreja Reformada, Igreja Renascer em Cristo nem igrejas sem nome.

A Igreja é católica (universal), mas não é romana.

É universal (católica) mas não é a Universal do Reino de Deus.

É de Jesus Cristo, mas não dos Santos dos Últimos Dias.

Porque é universal, não é igreja armênia, igreja búlgara, igreja copta, igreja etíope, igreja grega, igreja russa nem igreja sérvia. Porque é de Jesus Cristo, não é de Simão Pedro, não é de Miguel Cerulário, não é de Martinho Lutero, não é de Simão Kimbangu, não é de Sun Myung Moon, não é de João Paulo II.

Em todo o mundo e em toda a história, a única pessoa que pode chamar de minha a Igreja é o Senhor Jesus Cristo.

Ele declarou a Cefas: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).

Não há nada mais inescrutável e fantástico do que a Igreja de Jesus Cristo.

Ela é o mais antigo, o mais universal, o mais antidiscriminatório, o mais inexpugnável e o mais misterioso de todos os agrupamentos.

Dela fazem parte os que ainda vivem (igreja militante) e os que já se foram (igreja triunfante).

Seus membros estão entrelaçados, mesmo que, por enquanto, não se conheçam plenamente.

Todos igualmente são “concidadãos dos santos” (Ef 2.19), “co-herdeiros com Cristo” (Ef 3.6; Rm 8.17) e “co-participantes das promessas” (Ef 3.6). Eles são nada menos e nada mais do que a Família de Deus (Ef 2.19; 3.15).

Ali, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora.

É por isso que, na consumação do século, “eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles” (Ap 21.3).

A Igreja de Jesus, também chamada Igreja de Deus (1 Co 1.2; 10.22; 11.22; 15.9; 1 Tm 3.5 e 15), Rebanho de Deus (1 Pe 5.2), Corpo de Cristo (1 Co 12.27) e Noiva de Cristo (Ap 21.2), tem como Esposo (Ap 21.9), Cabeça (Cl 1.18) e Pastor (Hb 13.20) o próprio Jesus.

A tradicional diferença entre igreja visível e igreja invisível não significa a existência de duas igrejas.

A Igreja é uma só (Ef 4.4).

A igreja invisível é aquela que reúne o número total de redimidos, incluindo os mortos, os vivos e os que ainda hão de nascer e se converter.

Eventualmente pode incluir pecadores arrependidos que nunca freqüentaram um templo cristão nem foram batizados.

Somente Deus sabe quantos e quais são: “O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Tm 2.19).

A igreja visível é aquela que reúne não só os redimidos, mas também os não redimidos, muito embora passem pelo batismo cristão, se declarem cristãos e possam galgar posições de liderança.

É a igreja composta de trigo e joio, de verdadeiros crentes e de pseudocrentes.

Dentro da igreja visível está a igreja invisível, mas dentro da igreja invisível nunca está toda a igreja visível.

A Igreja de Jesus é uma só, porém é conhecida imperfeitamente na terra e perfeitamente no céu.


créditos: http://www.ultimato.com.br/

Apenas um Mensageiro



Se alguém aqui estiver presente quando chegar a minha hora, não quero um enterro prolongado.

Se alguém fizer o elogio fúnebre, digam-lhe que não fale demais.
As vezes, penso no que eu gostaria que essa pessoa dissesse.


Digam-lhe que não mencione que eu tenho Prêmio Nobel da Paz-isso não é importante. Digam-lhe que não fale que eu tenho mais de 300 ou 400 prêmios, isso não é importante.
Digam-lhe que não fale da Universidade onde estudei.
Gostaria que alguém falasse no dia em que Martin Luther King Jr. tentou dar a vida para servir aos outros.
Gostaria que alguém falasse no dia em que Martin Luther King Jr. tentou amar e servir a humanidade.

Quero que alguém fale no dia em que tentei ser justo e marchei com eles.

Quero que possam falar no dia em que tentei dar de comer aos que tinham fome.
Quero que possam falar no dia da minha vida em que tentei vestir os que estavam nus. Quero que falem do dia da minha vida em que tentei visitar os que estavam na prisão. E quero que digam que procurei amar e servir a humanidade.

Sim, se quiserem, digam que eu fui um mensageiro.
Digam que fui um mensageiro da justiça.
Digam que eu fui um mensageiro da paz.
Digam, que eu fui um mensageiro da retidão.
E todas as outras coisas supérfulas não terão importância.
Não terei dinheiro para deixar, não terei as coisas boas e luxuosas da vida para deixar, quero deixar apenas uma vida de serviço.

Se puder ajudar alguém à minha volta, se puder alegrar alguém com uma palavra ou canção, se puder mostrar o caminho a alguém que está andando errado, não terei vivido em vão.

Se puder cumprir meu dever de cristão, se puder levar a salvação ao mundo arrasado. Se puder difundir a mensagem como o Mestre a ensinou, então, minha vida não terá sido em vão.

Palavras do Pr. Martin Luther King Júnior à sua igreja em Atlanta, Estados Unidos, dois meses antes de sua morte. (Extraídas do Livro: Homilética. Da pesquisa ao Púlpito; Jilton Moraes. Editora Vida.)


créditos http://oslazaros.blogspot.com/

Alguém quer o endereço da auto-escola?

Sujo falando dos mal lavados...




Papa condena o materialismo

Bento XVI disse que isso é uma praga da sociedade moderna

Na ocasião, Sua Santidade usava sapatos Prada chiquérrimos, casula com 15 Km de fios de prata, anel de ouro 24 quilates e um crucifixo cravejado de diamantes.

Um lu-xo!


P.S. Aff, depois do Batman, ele é o único que tem um carro personalizado - o Papamóvel.

O cara só usa coisa de "bacana", anelzinho de ouro, crucifixo com diamantes, tecidos finíssimos... e a "pompa" do "véinho"?

Tem gente pra fazer comidinha, fazer as unhas, cortar o cabelo, lavar e passar as vestes papais - não ficaria surpreso se soubesse que tem uma ninfetinha só pra dar banhozinho.

Ah, por favor, né?

O Bentinho pagar sapo pra sociedade por causa do materialismo?

Vá tirar o travessão do olho primeiro...

Acho que São Francisco iria ter mais moral pra isso, não é não?

fonte: http://igrejaemergente.com.br/

Reflexões brasileirinhas

Entrevista com Caio

Caio Fabio – conta tudo parte 1




Parte 2



Parte 3

Com Respeito

Já que a batata esta assando por causa dos vídeos do Caio, leia com atenção esta matéria, e me responda:

Qual o problema de pararmos para refletir sobre o que diz uma pessoa tão experiente e que tem uma história tão importante entre os evangélicos brasileiros?

Muitos desta nova geração talvez nem saiba quem é este homem, esta reportagem é bem interessante, porque mostra um pregador conhecido e respeitado entre as igrejas, falando com muito carinho do Caio, confessando ter sido acalentado pelo doce Espírito Santo enquanto ouvia suas mensagens, mesmo sendo sobre conceitos e valores da igreja moderna.

Segue a matéria:




Pr. Marco Feliciano encontra Reverendo Caio Fábio“Ouvi palavras profundas e carregadas de amor fraterno", diz Marco Feliciano

Pr. Marco Feliciano e Rev. Caio Fábio

O pastor Marco Feliciano esteve, na semana passada, com o reverendo Caio Fábio, uma das lideranças evangélicas mais conhecidas do país.

O encontro ocorreu na residência do reverendo, em Brasília, onde discutiram sobre a igreja e os caminhos das lideranças.

“No aconchego de seu lar, fui recebido como um irmão, porém nunca nos havíamos falado”, lembra o Pr. Marco.

Foram duas horas de conversa, durante as quais Feliciano pôde conhecer um pouco mais de Caio.

“Ouvi palavras profundas, arraigadas em Cristo e carregadas de amor fraterno. Pude conhecer um pouco da alma deste pensador, e suas palavras se misturam com uma poesia incrível”, lembra.

Conceitos, valores, a igreja moderna, o Evangelho: tudo passa pelo pensamento de Caio Fábio. “Com tanta bagagem assim, é claro, não deixou de me aconselhar e instruir, o que ouvi com reverência”.

Feliciano diz que se emocionou várias vezes durante a conversa, inclusive ao ouvir o desabafo de um líder que foi ferido, machucado.

“Porém, como diz o poeta cristão, ‘os mais belos hinos e poesia foram escritos em tribulação’”, lembra. Talvez por isso, o reverendo se mantém de pé até hoje.

“Descobri que sua história começa em Manaus, quando, ainda aos 18 anos de idade, já começava a aparecer na TV.

Hoje, com 54 anos, tem uma história que precisa e deve ser respeitada.

Pregador e conselheiro de nações, urge que sua voz profética ressoe nos ouvidos desta geração jovem. Muitas vezes fui acalentado pelo doce Espírito Santo enquanto ouvia suas mensagens”, conta o pastor Marco.

Fonte: www.marcofeliciano.com.br
Fonte: http://amenidadesdacristandade.blogspot.com

Diga para o seu irmão do lado...



Fonte: http://hasbana.blogspot.com

Revista Greja



fonte: http://verticontes.blogspot.com

Nepotismo




Nepotismo? Eu sei bem o que é isso, como seria bom se tivéssemos lideres que alcançaram esta posição por ser de fato exemplo de amor, sinceridade, humildade, companheirismo e fé.

Vemos lideres totalmente despreparados, que utilizam as mais absurdas técnicas de manipulação para obter o sucesso pessoal e ministerial.

E o pior de tudo, é que pela ilusão de agradar a Deus agradando ao homem, sujeitamo-nos as mais ridículas situações, o que vem ocasionando a morte de muitos na fé, mesmo freqüentando a igreja, mesmo com credenciais, muitos já estão mortos e fedendo.

Não tenho duvida que estes ministérios, que lutam para manter a qualquer custo o poder entre seus filhos e familiares, estão distantes da Palavra da Graça da Verdade.

Por isto irmão, aonde quer que você esteja não troque a Graça por qualquer outra coisa, não substitua o que Cristo fez por você, por qualquer outro interesse, existem dois caminhos, escolha o seu, resolva-se com Ele, seja um líder diferente, não pela facilidade do papai, mais por amor ao Pai.

A verdade, ela vos libertará, viva a verdade sempre!


Marcelo & Eunice

Show pra quem?



Todas as experiências que eu tive em shows de propósito evangelístico foram vergonhosas e frustrantes.

Pessoas tratadas como animais em filas quilométricas, preços absurdos, atrasos no horário divulgado, alimentos arrecadados jogados ao chão como se fossem lavagem para porcos.

Assim como o evangelismo de massa, o show evangelístico recorre a mídia para divulgação de resultados mentirosos.

Outra incoerência sobre o show evangélico é a cobrança de ingressos a preços de shows decentes de bandas não-cristãs.

A palavra não deveria ser oferecida gratuitamente ?

Ao invés de irem atrás dela, ela não deveria ser levada?

Marcha para Jesus, SOS da Vida, Hillsong United ?

Se você for ver para se “divertir”, tudo bem, mas não me venha com desculpas que é tudo por almas.

Prepare-se para sol quente, chuva e rombos no orçamento.

Gostaria muito que alguém descrevesse nos comentários uma má experiência que teve em um show evangelístico.

Em contraste, gostaria de uma outra narração de como um show não-cristão pode tratar as pessoas com extremo conforto e dignidade.

Os comentários serão divulgados em um post.

fonte: http://pavablog.blogspot.com


Opinião do blog:

É isso ai, temos a Palavra, mais pra que Ela tem servido mesmo?

Mala falha



Hoje de manhã, dando tapas na Constituição e nos Estatutos da Convenção da AD do Brasil, Silas Malafaia invoca o direito de criticar a própria Convenção, o jornal Mensageiro da Paz, e os rumos administrativos da sua denominação.

Tudo isso repetindo histrionicamente com agudos cintilantes e falcetes enfáticos.

Sua cara de braveza realça as veias que lhe soltam na testa acompanhando a calvice avançada.

O arregaçar de ombros quando de pé, após abotoar o paletó do terno, dá-lhe um sinal de majestade.

E em seguida coloca o dedo na lente da câmera balançando-o diante do telespectador.

Malafaia chama na chincha a politicagem.

Enfatiza a falta de cobertura (jornalística) para si, e trata com desdém as matérias que o Semanário escolheu publicar.

Utiliza recursos da televisão para esconder os detalhes – mas avisa que qualquer leitor saberá de quem e a quem ele se dirige.

E depois de morder, assopra.

Elogia a cobertura jornalística do mesmo Mensageiro da Paz, para o evento dos Graham (pai e filho) em Novembro.

Sem antes justificar sua postura: “eu critíco mas também sei elogiar”.

Isso porque ambos são batistas e que “tem muito xiita na denominação que não reconhece outros irmãos”.

Um sinal de equilíbrio e justeza. Hmmmmm ...


Faz um desafio: diz que será o maior comprador de produtos da CPAD se derem a ele o status de Distribuidor, pois tem limitação de desconto por ser considerado Lojista.

Está de olho comercial para ajudar a espalhar a literatura por esse Brasil.

Justifica que se tornou a número dois das Editoras evangélicas em menos de dez anos.

E que fala para valer: “serei, a exemplo de como hoje sou o comprador número 1 da Mundo Cristão, basta me darem a distribuição (a CPAD), que também serei dela o número 1!” E – tal qual duelista-rápido-no-gatilho de filmes B de Western, esbraveja: “marquem hora e local que eu assino”. Hmmmmmmmm ...


Ao falar da Convenção que acontecerá no ano que vem, e antecipando a intensa disputa pela presidência da Instituição, se declara como um atento e ativo participante.

Não diz que é candidato, nem de como participará das disputas.

Mas assegura que o jogo democrático será para valer, no jogo pleno e democrático – onde cada voto vale.

E que crê no processo de qualquer eleição, e respeita o resultado das urnas. Mas alerta que não admitirá qualquer tentativa “a exemplo do que acontece no Futebol, de perder no tapetão”. Tem o top da assessoria jurídica ao seu lado. Hmmmmmmmmmmmmmm ...


E se alguém tentar com mentiras ou com manobras impugnar sua participação ou mesmo diminuir seu poder (ou liberdade), diz Malafaia que ele não vai aceitar ou deixar o outro impune!

Relatou por final que no ano passado, “correu um zum zum zum de que eu estaria sendo processado por uma aeromoça por assédio sexual”.

Diz ele, que descobriu quem era a fonte da fofoca, e que foi até o sujeito confrontá-lo. Que o cara respondeu que era aquilo mesmo e que não iria desmentir. E que ele deixou por isso mesmo. Hmmmmmmmmmmmmmmmmmm ...



Opinião do Blog:

Como assembleiano a mais de vinte e cinco anos, sempre gostei deste irmão, porém já faz algum tempo que confesso não sentir mais nada por ele, nem comunhão nem coisa alguma e, por favor, não me perguntem por quê!

fonte da matéria:
http://volneyf.blogspot.com/

Zona eleitoral

O negócio tá tão louco que dispensa comentários
























fonte: http://pavablog.blogspot.com

Diversão Garantida

Clique na imagem para ampliar, chame a galerinha os amigos, vizinhos, etc...
Todos com certeza vão gostar muito.





Agora você já tem um bom motivo para matar o culto no domingo.

O novo Banco Imobibliário trás o universo evangelical como tema, para agradar crentes e pagãos.

Você pode jogar com sua família, vizinhos ou mesmo na sua Koinonia (aqueles grupos que alguns chamam de Célula; Pequeno-grupo...

Na verdade um segregamento natural de pessoas de uma comunidade que pensam mais ou menos do mesmo jeito.

Os mais maldosos chamariam de panelinhas... Mas isso não importa).

As regras são as mesmas do jogo que você já conhece, com exceção dos valores, que é pago ao banqueiro em porcentagem do salário (renda bruta).

O objetivo também é possuir o monopólio do mercado imobibliário.

Não recomendável a crianças pequenas por possuir “peças” que poderão ser “engolidas”.

Boa diversão!


fonte: http://verticontes.blogspot.com

Bom exemplo




Preocupados com o momento de decisão, com relação a quem governará nossa cidade, um grupo da Igreja Católica de Maringá mandou imprimir este marcador de páginas com uma mensagem simples porém de muita profundidade, repare nas cores:

Cristão deve respeitar sua pátria!

Em geral o que escuto da boca de Evangélicos é que "crente" tem que votar em "crente", em "homens de Deus"... Sei não, fico com a dica dos irmãos católicos!

fonte: http://igrejaemergente.com.br/

Vamos reclamar menos e ajudar mais!

A maioria dos amigos do blog são pessoas que nem conhecemos pessoalmente, 90 % de nossos leitores tem entre 18 a 30 anos e cooperam em comunidades independentes.

Também temos alguns amigos católicos que tem cooperado efetivamente, enviando matérias e opiniões.

Queremos agradecer a todos e dizer que sempre serão bem vindos, nesse Caminho não temos placa nem dogmas nem coisa alguma que possa nos separar.

Isis, obrigado pela matéria, manda mais...

Aos leitores, talvez choque, o que é bom para parar e pensar sobre alguns valores que temos defendido.


Se você acha que você é infeliz, olhe para eles:





Se você acha que seu salário é baixo, que tal ela?





se você acha que você não tem tem muitos amigos...




Quando você pensa em desistir, pense neste homem...




Se você acha que sofre na vida, você sofre o tanto quanto ele?




Se você reclama sobre o seu sistema de transporte, que tal eles?




Se a sua sociedade é injusta com você, que tal a dela?



Aproveite a vida como ela é e como ela vem.
As coisas são piores para os outros e muito melhores para nós.

Existem muitas coisas na vida que irão surpreender os seus olhos mas poucas coisas irão surpreender o seu coração.

estudar te chateia? A eles não



Odeia verduras? Eles morrem de fome..




O carinho de seus pais cansa você? Eles não tem nenhum...



Enjoado dos mesmos jogos? Eles não tem opção!




Alguém te deu um adidas em vez de um Nike? Eles só tem uma marca!








observe a sua volta e seja agradecido por tudo que você tem nessa vida passageira...

Nós somos afortunados, nós temos muito mais do que precisamos para ser feliz...

Vamos tentar não alimentar esse ciclo sem fim de consumismo e imoralidade no qual essa
sociedade 'moderna e avançada' esquece e ignora os outros dois trilhões de irmãos e irmãs.


Vamos reclamar menos e ajudar mais!

A Bíblia e o celular

Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?

E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?

E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?

E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no
escritório...?


E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?

E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?

E se a déssemos de presente às crianças?

E se a usássemos quando viajamos?

E se lançássemos mão dela em caso de emergência?


Mais uma coisa:

Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal.
Ela 'pega' em qualquer lugar.

-Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já
pagou a conta e os créditos não têm fim.

-E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a
vida.

-'Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está
perto' (Is 55:6)




JESUS...

O maior Homem na história, JESUS CRISTO , não teve nenhum empregado, no entanto chamaram-no Soberano.

-Não teve nenhum diploma, no entanto chamaram-no professor.

-Não tinha nenhum medicamento, no entanto chamaram-no Doutor.

-Não teve nenhum exército, no entanto os reis temeram-no.

-Não ganhou nenhuma batalha militar, no entanto conquistou o mundo.

-Não cometeu nenhum crime, no entanto o crucificaram.

Foi enterrado num túmulo, no entanto vive hoje.

Sinto-me honrado por servi-lo!

Você pode ignora-lo, mais vale um lembrete, Jesus disse:

"Se me negar na frente dos homens, negá-los-ei na frente do meu Pai no céu"

Às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas maravilhosas que
jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.



Por Isis de Oliveira

Valeu Isis, muito legal esta mensagem.

Putz



Esqueça tudo o que você já viu sobre modificação corporal.

Um jovem colombiano resolveu radicalizar, ao querer parecer com o diabo.


Segundo um dos colaboradores do site BMEZine, especializado em modificações corporais, a decisão do rapaz foi tomada ano passado, quando ele declarou que gostaria de ter um olhar mais assustador, assim como o próprio diabo e para homenagear seu nome,
Caim.

As mudanças do rapaz começaram com aplicações de chifres de silicone e neste mês, finalmente, ele realizou seu grande sonho.

Tendo o apoio de um cirurgião plástico especializado em rinoplastia e de um modificador profissional, Caim teve parte das suas narinas retiradas, dando a ele o tão sonhado aspecto "assustador" que ele buscava.

fonte: http://pavablog.blogspot.com


Opinião do Blog:
Que bicho feio, se cruzar com ele, saio correndo sem olhar pra trás!

7ª Expocristã



Depois de ouvir a pregação contra o homossexualismo do pastor Jorge Linhares, presidente do Conselho dos Pastores de Minas Gerais, e os pedidos do deputado estadual Waldir Agnelo (PTB), pastor da Igreja Quadrangular, para que os presentes à abertura da 7ª Expocristã assinassem um abaixo-assinado contra projeto que tramita no Senado que “proíbe a livre manifestação dos evangélicos” contra os homossexuais, o prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM) manifestou posição contrária a dos evangélicos.

Kassab disse que não assinaria o abaixo-assinado e reafirmou sua posição em favor da diversidade sexual.

- A minha posição é a favor da diversidade sexual. Tenho em todos os momentos me manifestado como cidadão e como prefeito - disse o prefeito e candidato.



Opinião do Papo de Teólogo:

As vezes eu não sei se as lideranças evangélicas são ingênuas ou apenas tropeçam em seus próprios anseios por apoio político.

Kassab foi o mesmo cara que, meses atrás, afirmou que tiraria a Marcha para Jesus das ruas de São Paulo, mas deixaria a Parada Gay continuar na Paulista.

O mesmo cara que sempre demonstrou carinho com a causa homossexual.

Sua presença na ExpoCristã deveria ser simplesmente ilustratória, um ato político municipal; não deveriam esperar dele nenhuma simpatia pela opinião evangélica.

Ter pedido para o Kassab assinar uma manisfestação contra a PLC 122/06 foi a mesma coisa que pedir para um muçulmano assinar uma manifestação contrária a Alá.

Ps. Ricardo Linhares pregando na abertura da ExpoCristã contra homossexualismo?

Não tinha algo mais instrutivo e prático para pregar?

Mais uma vez repito: é necessário cuidado e muita prudência para se falar sobre isso.

Hora certa e oportunidade também são fatores que fazem com que nossa palavra seja sempre temperada com sal!


fonte: http://papodeteologo.gospelmais.com.br/



Opinião do Blog:

Sempre defendi que política, igreja e Igreja não devem se cruzar.

O que aconteceu foi ridículo, será que os organizadores estão tão mal informados assim?

Esse assunto de homossexualismo e homofobia já ta fervendo, e o cara vai botar mais lenha na fogueira, prova que estamos bem longe da essência do cristianismo.

Sai xiita, vamos falar da Graça de graça, falar de salvação, fé, amor, união, etc. têm tantos temas que nem acredito que desperdiçaram a oportunidade para falar de homossexualismo.

Agora só falta chamar o Maluf para dar a benção apostólica no final.

Hierarquias



Não quero generalizar, mais que o negócio é por ai é
O que vale hoje em nosso meio, a Palavra ou os acordos?

Pensem nisso...


crédito da imagem: igrejaemergente.com.br

City Tour no Céu




crédito da imagem: www.josielbotelho.com.br

Divórcio





Nós lemos Mateus 5: 31 e 32 e pensamos nele com nossas categorias ocidentais, posteriores à predominância política do Cristianismo sobre este lado do planeta, impondo não uma nova consciência, mas apenas uma nova Moral.


Todavia, quase nunca levamos em consideração o contexto no qual Jesus disse esta palavra.


Naqueles dias, embora a poligamia e a bigamia — tão constantes no Antigo Testamento —ainda existissem, desde o exílio em Babilônia que ela vinha diminuindo — por questões econômicas, como é obvio!


Todavia, ainda que ambas não fossem a norma para a maioria, na prática, no entanto, era ainda uma consciência prevalecente.


Prova disso é que em João 8, no episódio da mulher adultera e Jesus, não se apresenta o “homem” com quem essa “adultera”, adulterara. “Ele”, o homem, estava isento das pedradas.


Mas a mulher estava lá, seminua ou nua, exposta a todos.

Portanto, quando Jesus diz que a Lei dizia que um homem poderia des-cartar a sua mulher dando-lhe uma carta de divórcio, Ele falava isto a uma assembléia machista, que praticava isto com muita alegria e facilidade.
Tudo era motivo para se divorciar.

Literalmente, por qualquer motivo, como vemos em Joaquim Jeremias e outros especialistas ( Mt 19:3)

Isto para não falarmos na briga doutrinária que havia, nos dias de Jesus, entre as escolas de Shamai e Hillel em relação ao tema em questão.

Era o reino da banalidade relacional.

Nesse caso, o que Jesus diz, levando-se em consideração o “contexto historio”, é basicamente o seguinte:

1) Se, para vocês, a mulher é adúltera quando trai o seu marido, dando-se fisicamente a um homem, todavia, vocês, os homens, cometem muito mais adultério pelo modo “natural” como olham e desejam mulheres (MT 5: 28);


2) Neste mundo onde o homem “descarta” a mulher—ela sem direitos a mesadas e a patrimônio, estigmatizada pela Moral vigente e, praticamente, entregue a sobreviver como pudesse—a única clausula, de permissão ao divorcio era se a esposa traí-se o marido; ou seja: “... em caso de adultério” (5: 32b).

Nessa caso, o homem poderia dar a ela carta de repudio e divorcio.

Naqueles dias, mulheres não se divorciavam dos homens. Era a Lei.

3) A razão, portanto, tinha a ver com o estigma que a “repudiada”, a divorciada, carregaria, naquela sociedade, daí para frente.

Ao homem era permitido—por qualquer motivo—desamparar a esposa, repudiando-a, e, então, depois disto, era-lhe “lícito” escolher outra mulher e seguir adiante com sua vida.

Não era sempre bigamia, mas era sempre uma monogamia sucessiva.

Ela era extremamente praticada até que Shamai, um rabino, se levantou contra aquela injustiça, discutindo os “motivos justos para dar uma carta de divorcio”, que, à semelhança de Jesus, para ele, também era o adultério.


Todavia, a preocupação era com o estado de desamparo no qual ficava a mulher repudiada-divorciada, pois, para todos, ela passava a ser fadada a nunca mais amar ninguém e nem ter ninguém, apenas porque alguém não a quis mais, por qualquer motivo.


Esta é a razão pela qual Jesus—após denunciar o adultério subjetivo de todos os homens—diz que a preocupação era com expor a mulher a tornar-se adultera (Mt 5: 32c), e, também com “aquele” que, porventura, à ela se ajuntasse, pois, ele também, passaria a ser visto como o marido da repudiada.


Numa sociedade onde o homem tinha todos os privilégios, incluindo o de ter uma segunda esposa caso a pudesse sustentar, descartar a esposa e entrega-la ao mundo com uma letra R, de Repudiada, escrita na testa, e, ainda, esperar que ela vivesse de vento, expunha-a a tornar-se adultera—fosse pela necessidade de ser sustentada por alguém, fosse pela realidade de ter encontrado alguém.

Assim, em Mt 5: 27-28, Ele iguala a todos no nível do adultério subjetivo.

Já em Mt 5: 31-32, Ele nos mostra como uma vítima da dureza de coração de um homem—que descarta e não cuida da vida humana que ao seu lado esteve—pode, numa sociedade regida pela Teologia dos Fariseus, ser ainda mais des-graçada.

O “repudio” do homem tornava a mulher, no mínimo, uma “repudiada” e, no caso dela prosseguir com a vida — sem ter que se entregar à mendicância —,a exporia a ser vista, para sempre, como adultera.

Dessa forma, Jesus afirma duas coisas:

Primeira, a seriedade do vinculo entre dois seres humanos numa relação de casamento; e,

A segunda, a possibilidade de que a alma humana pudesse se endurecer tanto, que usasse a do outro, e depois, simplesmente a descarta-se, sem cuidado e sem proteção.

Em outras palavras:

Jesus não entrou na questão da Lei — até Moisés teve mais de uma esposa—, mas na questão da misericórdia, e, sobretudo, no tema da descriminação Moral do infeliz; e, também no tema da Teologia dos Fariseus e a sua dureza predatória — suas Leis de causa e efeito da infelicidade —, que, naquele caso, era uma Lei animal, que tratava a companheira como lixo.

E por que digo isto? Por duas razões:

1) Porque é o que vejo no trato de Jesus com as mulheres de todos os tipos de vida durante os Evangelhos.

2) Quase todas elas vinham de vidas infelizes, mas todas foram absolutamente acolhidas, a Samaritana, inclusive, com seu “companheiro”, acerca de quem Jesus disse: “...chama teu marido e vem cá...”

3) Minha leitura da Bíblia, toda ela, está irremediavelmente ligada à única chave hermenêutica que eu creio que é absoluta: “O Verbo se fez carne”—essa é a chave hermenêutica!

Logo é no Verbo Encarnado, Jesus, onde vemos o Verbo virar Vida, em todos os sentidos. Ora, isto nos leva não a ler o que Jesus disse e , para melhor entender o texto, fazermos uma exegese da passagem.

Ao contrário: isto nos leva a ler e ouvir o que Jesus disse, e, ver, nos evangelhos, como Ele encarnou aquele Verbo.

Ora, quando fazemos isto, não temos mais o Evangelho que Jesus falou e nós “interpretamos” como bem desejamos; e o Evangelho que Jesus viveu, que nós usamos para nos inspirar na fé na fé.

E esquecemos que são naqueles encontros com a vida que cada um de Seus ensinos—literalmente, cada um deles—, teve sua verdadeira interpretação.

Jesus nunca ensinou aquilo que Ele não encarnou, como manifestação da Graça!

A tentativa de fazer exegese das falas de Jesus, e não levar em consideração como Ele tratou as pessoas pelo caminho, é audaciosa, pois, coloca-nos como “os interpretes da Lei”: com a Chave da ciência debaixo do braço, pondo-nos numa posição na qual Jesus pode ser esquizofrenizado pelas nossas doutrinas e Teologias; ou seja: ensinando uma coisa—geralmente legalista em seus conteúdos—, conforme nós “interpretamos” as falas de Jesus; enquanto, também evangelizamos, falando do modo misericordioso como Jesus tratou com amor os pecadores.

O problema é que, na maioria das vezes, o Jesus que encontra pessoas pelo caminho—gente de todo tipo—, não combina com as “interpretações” que fazemos de Suas Palavras.

Quem é que está com problemas?

Seria Jesus um “esquizofrênico”?

Seria Ele como os fariseus, que diziam e não faziam?

Ou como os “interpretes da Lei”, que punham fardos pesados sobre os homens que eles nem com o dedo queriam tocar?

Ou nós é que continuamos sofrendo da doença deles?

Responda-me: Crendo que Jesus é o Verbo encarnado, como você interpreta o que Ele disse?

À luz dos ensinos de nossos interpretes da Lei? Ou, quem sabe, para o seu próprio bem, conforme o Verbo Encarnado em Jesus! Jesus é a Palavra sendo interpretada aos nossos olhos!

Afinal, o Verbo se fez carne e habitou entre nós...

e vimos a Sua Gloria...!

Fonte: www.caiofabio.com.br


Opinião do Blog:

Estes dias recebi um pedido que falássemos algo sobre divórcio, pois bem, apesar de ter certa experiência sobre o assunto, resolvi postar esta reflexão do Caio, ela vai exatamente de encontro com o que pensamos a respeito.

Clarão ou Girino?



fonte: Do Angeli - Folha Abril 2008

Propaganda Eleitoral



Fonte:Orlandelli
www.orlandelli.com.br

Oração como poder.





Acabo de acessar a rede de televisão estadunidense MSNBC. Estupefato, ouço que o psicólogo-pedagogo James Dobson, ultraconservador líder da direita evangélica, convocou uma reunião de oração para pedir que um temporal estragasse o discurso de Barack Obama (o tiro saiu pela culatra, um furacão quase acabou com a convenção dos Republicanos).

A neopentecostal Valnice Milhomens, precursora da teologia da prosperidade no Brasil, afirmou que Fernando Collor de Melo foi gerado pela oração, "no colo dos evangélicos". Segundo ela, quando Collor enfrentou Luis Inácio Lula da Silva, os crentes lhe deram a vitória.

Max Lucado ressoou a enorme maioria evangélica que apoiou a invasão e guerra do Iraque. Em um “prayer breakfast” com George W. Bush, pastores de várias denominações abençoaram as tropas que avançavam com tanques e aviões, lançando mísseis “inteligentes”. Milhares morreram e os púlpitos se mancharam de sangue. Como algum deles ainda consegue citar: “Bem-aventurados os pacificadores porque serão chamados filhos de Deus”?

Edir Macedo sugeriu que Lula, seu atual correligionário, era uma encarnação de Satanás. Segundo o bispo, o diabo seria um anjo “barbado, sem um dedo e de língua presa”.

Qual a correlação dos fatos? Simples. Ávidos de poder, homens e mulheres usam a religião para sancionar a suas ambições. Perdem até o receio de quebrar o terceiro mandamento: "Não tomarás o nome de YHWH, teu Deus, em vão, pois YHWH não considerá impune aquele que tomar seu nome em vão".

A lógica seria a seguinte: “nós somos os escolhidos de Deus, portanto, podemos acessar o seu poder e combater quem julgarmos um inimigo”.

Se o presidente é cristão e sabe orar, não existe a mínima possibilidade de errar ou de reproduzir uma política belicista, imperialista.

“The President” cumpre os propósitos eternos do Senhor.

Se acontecerem mortes: "Deus precisa delas para cumprir a sua agenda".

Pronto!

Discursos semelhantes justificaram a chacina de Montezuma.

A rapinagem espanhola na América Latina, que exterminou nações, era “necessária para acabar com a idolatria pagã".

Para sedimentar bem a civilização cristã, negros agonizaram no porão de navios imundos; muitos passaram pela vida como bichos acorrentados.

E todas as caravelas partiam da península Ibérica com missa e as bênçãos oficiais do Papa - tudo para a "glória de Deus".

Eu participava de uma reunião evangélica em Atlanta, Geórgia, quando Bill Clinton ganhou a eleição.

Naquele exato momento, ouvia o pensador indiano radicado nos Estados Unidos, Ravi Zacharias. Ele vaticinou com toda veemência que a permissividade moral do novo presidente levaria a nação à bancarrota.

Zacharias fracasou em seu prognóstico.

Clinton trouxe excelentes resultados para a América e ainda conseguiu se re-eleger.

Permaneço cristão porque reconheço que Deus não se deixa manipular por rogos tão perversos e inconsequentes, caso contrário, teria pavor de algumas orações que já fizeram contra mim - parecidas com a do James Dobson.

Soli Deo Gloria.


Fonte: Ricardo Gondim
http://www.ricardogondim/.
http://praxiscrista.blogspot.com/

Opinião do Blog:
Texto reflete exatamente a palhaçada que fazem com o nome Dele, como tiram vantagem disso, como lutam para deixar as pessoas na ignorância e submissão, como manipulam a massa ao ponto fazê-las zumbis e terem certeza de estarem vivendo agradando a Deus.

A maioria descansa em berço esplêndido, sem falar nada, quando leio este tipo de reflexão, me alegro muito pois vejo que alguns (poucos é verdade), se expõe mais e insistem em apontar um caminho diferente do que esta ai.

Pastor Ricardo, parabéns pelo texto, força sempre....

Terra Santa no Masp






Anote ai:
MASP – Museu de Arte de São Paulo
Avenida Paulista, 1578 das 11h as 18h - Ingressos a r$ 15,00 meia paga r$ 8,00
Terças é na faixa! Não abre as segundas.
Grátis para menores de 10 e maiores de 60 anos



ACHADOS QUE CONTAM MAIS DE MIL ANOS DE HISTÓRIA,

Cerca de 150 achados arqueológicos do período compreendido entre 1000 a.C. até o século I da nossa era estão reunidos na exposição Tesouros da Terra Santa - Do Rei David ao Cristianismo,

A mostra reúne objetos trazidos de Jerusalém para contar algumas passagens históricas ligadas ao judaísmo e ao cristianismo, como a construção do Primeiro e Segundo templos e os dias de Jesus Cristo.

Lá pudemos ver o ossuário de Caifás e a inscrição de Pôncio Pilatos, dados como dois dos cinco artefatos genuínos da arqueologia que comprovam dados históricos do período de Jesus na Palestina, a exemplo da existência do Sumo Sacerdote judeu que presidiu o julgamento de Cristo e do governador romano que o levou à cruz.

Entre as peças que compõem o conjunto também está a "pedra da vitória", entalhada por um rei de Aram, contendo uma inscrição que menciona a "Casa de David", referência direta à dinastia fundada pelo Rei David.

Também vimos à pedra funerária que marca o local do sepultamento de Uzias, um dos reis de Judah, cujo túmulo foi trocado de local quando da expansão de Jerusalém séculos após seu reinado.

São peças que revelam a arquitetura real, a devoção religiosa e a administração durante o período do Primeiro Templo.

O período Bizantino, entre os séculos IV e VII d.C ganha destaque na parte final da mostra e complementa o milênio retratado, 600 anos depois. Nessa época, seguidores do judaísmo e do cristianismo viviam lado a lado e ambos dedicavam grandes recursos à construção de monumentais casas de oração, antigas sinagogas e igrejas.

A reconstituição desses espaços, com pia batismal, altar e outros objetos, dá testemunho, principalmente, das semelhanças entre as duas religiões nesse período.


Alguns detalhes emocionam: o sinete de Jeremias, um calcanhar da época com um prego travado achado em ossuário com a inscrição “crucificado” (prova que na época esse procedimento era muito utilizado), etc... como a Bíblia é maravilhosa, o tempo passa e as provas estão ai, e o mais legal em uma exposição feita nada a mais nada a menos pelo Museu de Israel – Jerusalém, uma experiência imperdível.

Política





Representante da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), cujo guru, o bispo Edir Macedo, define as religiões afro-descendentes como “seitas demoníacas” e responsabiliza a Umbanda, o Candomblé e a Quimbanda “pela destruição do ser humano”, o deputado federal Márcio Marinho (PR), que é bispo da Iurd e vice da chapa de ACM Neto (DEM) à Prefeitura de Salvador, está disposto a quebrar um tabu da sua igreja para garantir os votos do povo de santo.

“Se houver convite de Neto ou dos próprios terreiros estarei presente (no candomblé)”, garantiu nesta segunda-feira, 23, o bispo que, no domingo, 22, foi criticado pela comunidade do Terreiro da Casa Branca – um dos mais tradicionais da Bahia – por não estar na comitiva do democrata que visitou o terreiro.

Bispo Marinho primeiro justificou a sua ausência com o argumento de que, aos domingos, “abre mão de tudo para estar no culto da igreja”.

Depois disse que “o meu prefeito não me convidou, porque ele respeita esta questão da diversidade”.

Em seguida, admitiu que, havendo o convite, e não sendo em dia de culto, não haverá problema.

Marinho disse não ter empecilho em visitar uma casa de candomblé, embora se mostre preocupado com a reação da pessoas.

“Nos cobram (tolerância) e depois dizem que estamos sendo demagógicos e que é só por causa de voto”, pontuou.


Opinião do Papo de Teólogo:

Faz-se de tudo por votos nessa terra brasilis. Os bispos da Universal passam o ano todo falando de encosto, mãe de encosto, mandinga, amarração, olho gordo e agora querem fazer campanha em terreiros de candomblé? Não é demagogia não; é patifaria mesmo.


Opinião do Blog:

Isso é só o começo da campanha, pode ter certeza, que você ainda vai ver muitos figurões subindo no púlpito da sua igreja de manha, à tarde indo no centro espírita e a noite em terreiro de candomblé.

Os caras dão tiro para todo lado, aonde acertar, é lucro.

E nós ainda puxamos o saco dessa turma, fazendo de conta que Deus esta no "negócio".

Por quê? Ahh logo vem à resposta, porque a "igreja" precisa...

Sai dessa irmão, acorda em quanto é tempo, não vote por indicação sem conhecer o candidato, hoje a internet é excelente para pesquisas.

Entre no google, faça uma pesquisa, analise e vote de acordo com a sua consciência.

Tem muitos candidatos ai que não são "crentes" mas tem atitudes que os tornam excelentes escolhas.

Crédito da foto: Fonte: http://pavablog.blogspot.com
Crédito da matéria: http://papodeteologo.gospelmais.com.br/

Breve Dicionário Neoevangélico




Fé - Crer absolutamente naquilo que o pastor/apóstolo diga

Amor - Atender o chamado do líder de louvor e dizer para a pessoa ao seu lado: "Eu te amo em Cristo Jesus"

Promessa - Carro, casa, dinheiro

Evangelismo - Mandar alguém ir à igreja

Adorar - Chorar durante horas cantando algum tipo de música lenta e repetitiva

Fidelidade - Qualidade mostrada no ato de dizimar/ofertar mensalmente

Levita - Pseudo-músico que se acha superior aos demais por cantar/tocar

Perdão - Ficar fora de comunhão durante um tempo variável de acordo com o pecado

Comunhão - Não ter ninguém te acusando ou falando a seu respeito

Profeta - Expert em leitura corporal e oratória

Deus - O cara responsável por abençoar quando mandado

Espírito Santo - Ser que faz as pessoas caírem e receberem novas unções

Jesus - Um cara que fez o oposto do que deve-se fazer

Inferno - Lugar para onde os que não tem salvação irão

Diabo - O culpado por tudo de ruim que aconteça

Esperança - Ser tão rico quanto os apóstolos da TV

Salvação - Alcançada indo à igreja e sendo fiel (vide fidelidade)

Unção - Algo que se recebe para se sentir superior aos outros

Abençoado - Ser cabeça e não cauda

Pecado - Infração cometida contra a igreja e variável com a cartilha

Igreja - Templo luxuoso que exige fidelidade para sua manutenção



Opinião do Blog:

Será só Neo? O arraial tradicional e pentecostal não esta longe disso não.
Se nós falarmos para você não ser igual adianta?
Pense nisso...


Crédito da matéria: http://rapensando.blogspot.com/

Revistas da Semana

Carta Capital



A recente notícia de que uma igreja evangélica comprou 22 horas diárias do Canal 21, da Rede Bandeirantes de Televisão, passou quase despercebida.

O fato é visto como rotineiro, dado o espantoso crescimento no País do movimento neopentecostal, representado por denominações que enfatizam os dons do Espírito Santo por meio de curas milagrosas em rituais espetaculosos.

Os evangélicos hoje já somam 30 milhões de fiéis e representam 17% da população.

No Censo de 1991, eram 13,7 milhões.

Mas quem se incomodou nas últimas duas décadas com o crescimento da Igreja Universal do Reino de Deus, chefiada pelo bispo Edir Macedo, prepare-se: a dona da nova programação do Canal 21, a Igreja Mundial do Poder de Deus, é uma espécie de dissidência da Universal e cresce vertiginosamente como a sua principal concorrente.

Tem sonhos de grandeza semelhantes.

Fundada há dez anos, a igreja desbancou a PlayTV, da Gamecorp, empresa de jogos para celular e tevê que tem como sócio Fábio Luís Lula da Silva, o filho do presidente Lula.

A PlayTV era a responsável pela grade do Canal 21 e rivalizava com a MTV.

Os valores do contrato por cinco anos com a Bandeirantes não foram revelados, mas giram em torno de 3 milhões de reais mensais.

A Mundial já paga cerca de 1 milhão de reais à RedeTV!

Para veicular programas diários das 5 às 8h30 da manhã.

No momento, mantém negociações com uma terceira emissora.

trecho da matéria de capa da Carta Capital desta semana





ÉPOCA


As 7 da manhã, o portão é aberto e as crianças da 1ª à 4ª série entram na escola.
Depois do chocolate quente, sentam-se em filas, no pátio. Uma professora pára na frente da turma e pergunta:


– O que fazemos de gostoso todas as manhãs?

– Acolhimento! – gritam, em coro, os cerca de 300 alunos.

– Então, todo mundo de mãozinha para cima.

Basta a professora puxar, “Pai-Nosso que estais no céu...”, e a turma toda acompanha.
De olhos fechados, as crianças rezam o Pai-Nosso sem dificuldade, algumas com as palmas das mãos juntas na altura do peito, outras com as mãos abertas e para o alto.

Depois de entoar duas orações e uma música sobre o amor, sobem enfileiradas para a sala de aula. “Quando cheguei a esta escola, elas tinham um comportamento muito violento, que traziam de casa”, diz a diretora Patrícia Bonilha.

A solução foi o “acolhimento” no início de cada turno. “Melhorou muito.

Ele proporciona equilíbrio, você consegue aquietar o ambiente, principalmente no período da tarde, quando as crianças chegam cheias de adrenalina”.

A cena lembra um ritual tradicional de qualquer colégio católico. Mas ocorreu na escola municipal Walter Carretero, de Sorocaba, interior de São Paulo. Na rede da cidade, todas as escolas incluíram trechos da Bíblia em seu material didático em 2002, com a adoção da cartilha Deus na Escola, produzida pela Secretaria Municipal de Educação com a participação de várias entidades religiosas. “Percebemos uma mudança de comportamento nos alunos de toda a cidade.

No modo como tratam os professores, a família e os amigos”, diz a advogada Maria Lúcia Amary. Ela foi uma das autoras do programa, que dá orientações sobre como as escolas devem trabalhar os valores cristãos nas disciplinas escolares.

A transmissão de valores é um dos principais argumentos para a inclusão do ensino religioso nas escolas. Seus defensores consideram que a espiritualidade é um conhecimento fundamental para o desenvolvimento. “Em tempos de violência e degradação familiar, a escola deve ser um espaço para a construção do indivíduo”, afirma Maria Lúcia. “Na formação do caráter de uma pessoa, ficam faltando valores fundamentais de vida e respeito se ela não tem uma religião.”


Nem todos concordam com essa linha.

Para a educadora Roseli Fischmann, professora da Universidade de São Paulo (USP), a escola deve ser capaz de ensinar o respeito mútuo sem depender da religião.

“Na cabeça da criança, as noções de ética, direito e respeito não podem estar vinculadas a um Deus. Senão, o que vai acontecer se ela brigar com um colega que tem um Deus diferente do dela? Ou se, um dia, questionar sua religião?”

Roseli faz parte de um grupo de educadores e sociólogos que evoca o princípio do Estado laico (sem religião) para criticar a entrada da fé nas escolas públicas.

Para ela, cabe à família decidir se quer ou não transmitir sua religiosidade ao filho. “A espiritualidade não é parte necessária da formação escolar. Eu dei educação religiosa para meus filhos, mas há pais que não querem isso e eles têm esse direito.


Há, portanto, duas correntes de pensamento antagônicas, cada uma com fortes argumentos.

Será possível conciliá-las? Segundo o último censo do IBGE, 93% dos brasileiros se dizem religiosos. É provável que boa parte deles se sinta contente com a ajuda da escola na transmissão de seus valores aos filhos. Mas aí começam as dificuldades.

De acordo com o IBGE, os brasileiros se dividem em 43 denominações religiosas.

Os católicos representam 74% da população, seguidos pelos evangélicos, com 15%.

Os que não têm religião são 7% do total – mais que o dobro da fatia que representa os adeptos de outras crenças, 3%.

Como trazer Deus para as salas de aula de forma respeitosa a todas as linhas religiosas – incluindo os ateus e agnósticos?


trecho da matéria de capa da Época desta semana.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...