VENTOS DE DOUTRINAS

Por:Jasiel Botelho



Então não seremos mais como crianças, arrastados pelas ondas e empurrados por qualquer vento de ensinamentos de pessoas falsas. Essas pessoas inventam mentiras e, por meio delas, levam outras pessoas para caminhos errados...
Pois vai chegar o tempo em que as pessoas não vão dar atenção ao verdadeiro ensino, mas seguirão aos seus próprios desejos. E arranjaram para si mesmas uma porção de mestres, que vão dizer a elas o que elas querem ouvir.
Efésios 4;14 - 2 Timóteo 4;3 TLH


Eu sei que não devemos julgar ninguém, nem tão pouco fazer críticas aos líderes espirituais. Porém quando lemos o Novo Testamento não podemos fechar os olhos às advertências dos apóstolos, quanto as invenções doutrinárias de muitos líderes religiosos, que provocam tantas brigas, divisões e escândalos!
Quem não se lembra dos “dentes de ouro”? Do “cai-cai”? Da “unção do riso”, do “leão” etc. A bíblia chama os líderes que inventam essas novidades de “mentirosos” e os cristãos que acreditam nelas de “criança na fé” Para mim, tudo bem, pois essas novidades são: o combustível para as minhas charges.
Eu sou muito criticado por colegas pastores pelas minhas brincadeiras. Mas diante de tudo isso eu pergunto: Sou eu mesmo quem brinca com as coisas de Deus? Ou aqueles que parecem que estão falando muito sério, mas no fundo estão brincando com Deus?

Jasiel Botelho

é fogo demais pra minha cabeça....



ps. Léo essa é pra vc rsrsrsrs

A Igreja Original

Quando Ele esteve entre nós, existia há muito tempo regras bem definidas para ser ouvido e atendido por Deus, tudo era bem organizado, o local onde Deus escutava,quem podia falar com Ele a favor do povo e quem vendia o material para o sacrifício.

E foi lá que Cristo o Dono de tudo esteve, porém não foi reconhecido, interessante que Ele saiu do templo para pregar na beira do mar, nas casas, na rua, porque o templo já não cumpria com o propósito de ser um lugar santo de adoração a Deus.

Em nenhum lugar que esteve propôs a divisão, a violência a discriminação o comércio com a Palavra de seu Pai.

Não veio fundar um novo movimento, mais revelar que através de seu sacrifício tudo seria diferente, Cristo não veio fundar uma nova religião, veio revelar uma nova maneira de viver, esta nova maneira de viver sempre foi ignorada pelos líderes religiosos em todas as épocas, e o motivo sempre foi um só: poder!

Sim poder para ganhar muita grana, poder para estuprar consciências e assim manter o domínio por tempos.

Fico pensando se Cristo ou qualquer um dos apóstolos aparecessem por aqui, talvez não fossem mártires, nem perseguidos pelas ruas, simplesmente ficariam esquentando um belo banco sem oportunidade para nada, pois suas pregações não se encaixariam no padrão de hoje.

Cristo, com certeza não seria nem o porteiro do templo, ao menos que utilizasse os seus poderes para encher de grana os cofres da igreja, como Ele não faria isto,com certeza seria mais um excluído por rebelião.

Hoje, muitos não encontram mais espaço para falar a Verdade, porque se falar,a porta da rua vai ser a serventia da casa e não importa se é Pedro, Paulo ou Cristo, todos vão ter o mesmo destino, serem taxados como subversivos,infiéis, endemoniados, etc...

Toda igreja instituição, pastor, pregador, apóstolo,bispo,etc.Que não trata a Bíblia com respeito e incentiva a barganha para obter a resposta de Deus, deverá pagar caro por isso, ainda que nesse mundo viva como rei, aproveite bem os despojos, quando descer à sepultura deixando aqui tudo aquilo que conquistou, vai colher tudo o que plantou.

Então vale a dica: a ordem agora com Cristo é igualdade!

O que antes era exclusivo, separado e difícil, passou a ser oferecido de graça,pela graça, aboliu o templo feito por mãos humanas, fazendo de cada um de nós, templo, santificados por Ele.

A importância passou a ser a atitude, não o tamanho dela, mais a intensidade.
O catalogo da morte começou a ser rasgado, Interessante que Cristo não seduziu os apóstolos com esperanças ilusórias, bem diferentes do que vemos hoje...


Abraço galera.....

Marcelo

Sobre Nós

Eu (Eunice) nasci em um lar cristão enquanto Marcelo nasceu em berço judaico (por parte de pai),dois pólos bem diferentes, principalmente porque minha vida inteira fui criada nos bancos do “templo” enquanto que a vida dava para o Marcelo experiências bem diferentes.

Quando pequeno aos cinco anos, foi deixado pelo seu pai, sua mãe então o criou sozinha, ela católica mais também aberta para outras práticas, o levou desde criança para centros de umbandas, espíritas, etc...

Aos treze anos de idade, sem nenhum “crente” na família, passou em frente de uma igreja evangélica “assembléia de Deus” , entrou, gostou e ficou.

No inicio sua mãe achou o fim, ainda mais que naquela época os “bíblia” eram ridicularizados por todos, ser crente era comparado a ser louco, fanático, etc.

Depois de algumas "conversas", sua mãe viu que não tinha como fazer ele mudar de idéia sobre ser “crente”, resolveu deixá-lo em paz, desde então ele aprendeu a conviver com sua mãe “católica umbandista romana espírita” e ela com seu filho crente
bíblia doidão por Cristo.

Esta convivência lhe trouxe uma larga experiência sobre como tratar os irmãos de religiões afros, espíritas entre outras e posicionar-se de forma contundente a uma apologética praticada de dentro para fora, da igreja instituição para o que chamamos “mundo”

Esta convivência provou que o amor supera todos limites impostos pelos religiosos e seus agentes, em Cristo temos a lente de como tratar nossos semelhantes, queridos e até mesmo daqueles que nem gostamos tanto....

Não importa se você é "crente" sua mulher espirita, seu pai católico, seu filho umbandista, todos devem respeitarem-se acima de tudo, tenho certeza que isto agrada muito o Pai.

Pensem Nisto....

Eunice

Magaiver da graça.....



Achei no:ADONAINEWS - Notícias do meu Senhor.

Identificando os falsos apóstolos...

Por:Cristão Crítico (Via)Púlpito Cristão



Essa semana encontrei uns “rabiscos” interessantes na internet e quero compartilhar com vocês. O texto à seguir é do pastor Ricardo Ribeiro, e fala sobre os falsos apóstolos que estão por aí... Leitura altamente recomendada: eu “agarântiu”! rs...


O falso apóstolo é mentiroso: ele gosta de contar vantagens e experiências pessoais que na maioria das vezes não aconteceram. Ele exagera, inventa. Ele é um mentiroso desde o princípio, mas agora consegue atingir um público maior para suas mentiras, por causa do seu título apostólico. É impressionante como os cristãos acreditam em fábulas.

O falso apóstolo é numerólatra: ele não consegue ser fiel aos números reais. Se ele tem uma igreja com 50 membros, diz que tem 5 mil. Se ele tem um carro, diz que tem cinco. Se ele tem dois ou três pastores que o seguem, ele diz que tem trezentos. A numerolatria é pecado, e geralmente quem usa este método é porque não tem a dignidade de assumir a realidade de Deus para sua vida.

O falso apóstolo é prepotente e orgulhoso: geralmente ele se acha melhor e mais esperto do que os outros. Nunca quer aprender, e pensa que somente o próprio Deus poderia ensiná-lo algo. Ele jamais erra, e sempre encontra justificativa para seus erros. Fala com arrogância, tem olhar altivo. Ele intimida com o olhar, e não tem coragem de pedir perdão. Geralmente usa as roupas mais caras, só para impressionar.

O falso apóstolo é estrela: ele é aplaudido, idolatrado, celebrado. Ele fica em posição de destaque. Sempre terá defensores fiéis, porém pessoas sérias logo percebem a farsa que ele é.

O falso apóstolo é um criminoso falsificador: ele inventa documentações, cria diplomas e certificados falsos, forja papéis para respaldar seu ministério.

O falso apóstolo é como fogo de palha: ele é bom de papo e conhece alguns versículos da Palavra, porém suas ministrações são quentes e sem profundidade. Quem assiste uma preleção do falso apóstolo pode até se entusiasmar, porém quando o tempo passa, sentem-se vazios e famintos de um sólido alimento espiritual.

O falso apóstolo é manipulador: As pessoas que estão debaixo dele o temem, e fazem o que ele manda sem pensar nas consequências. Ele sabe manipulá-las, e elas ficam acorrentadas. Geralmente você encontrará sempre várias pessoas que tem o testemunho de “ex-manipulados” por ele. Basta procurar, e estas pessoas poderão contar suas experiências negativas e assustadoras. Geralmente ele coloca culpa no diabo, e considera estas pessoas endemoniadas e maledicentes (mas na verdade são apenas vítimas do engano que ele mesmo as impôs).

O falso apóstolo só visa lucros financeiros: Se a igreja não puder pagar uma fortuna para ele pregar, esqueça, não poderá contar com ele. Ele exige hotel, alimentos especiais. Não abre mão por nada. Se a igreja quiser uma anistia, uma ajuda por não ter condições, ele não abre mão. Além disso ele é especialista em “colher ofertas”, e quando chega na igreja, motiva o povo a dar tudo o que tem, mas quando vai embora levando bolsas de dinheiro, o povo sente um forte remorso de ter dado crédito às suas palavras.

O falso apóstolo parece “bom demais pra ser verdade”: ele parece tão perfeito, tão santo, que pensamos que não somos nada, e queremos ser como ele. Mas na verdade é só fachada, e só quem “comer um quilo de sal com ele” saberá quem ele é de verdade.

Bom, eu poderia ficar aqui enumerando centenas de característica de um falso apóstolo, porém quero dar uma dica aos meus amigos pastores e irmãos, para que um destes farsantes não entre pelas portas de sua igreja. Antes de convidar um pastor, bispo, apóstolo para pregar, garanta que:

a) Sua formação teológica é verdadeira, e respaldada dentro dos tramites legais.
b) Igrejas foram abençoadas profundamente através dele (entre em contato com igrejas)
c) Ele é humilde, e está disposto a ajudar de alguma forma, na medida do possível.
d) Ele visa o Reino de Deus.
e) Ele tem uma esposa e família abençoada.
f) Ele tem um ministério do tamanho de suas palavras (sem exageros)
g) Ele não deixou rastros obscuros em sua caminhada.


Opinião do Blog:
òtima receita, daquelas para imprimir e deixar grudada na capa da Bíblia rsrsrs

abração

Marcelo

Univer nós



Achei no: Pava Blog

Algo incomoda os participantes deste blog

A mentira e jogo de interesses entre os líderes religiosos, é tanta sujeira, podridão, onde o que menos importa são os ensinos da Bíblia e o sacrifício de cristo.

O que importa mesmo é o poder, grana, quem dá as cartas, quem inclui e excluem os crentes do "reino", aquele que com um piscar de olhos faz com que seus subordinados se sintam felizes e certos que estão agradando a Deus.

Quem vai dar créditos a uma geração que prega uma coisa e faz outra?

As igrejas lotam, as mandingas se multiplicam, as barganhas comem solto, para onde esta indo esse povo?

Até quando vamos fazer de conta que não sabemos a resposta?

Acreditem é verdade, para cada pessoa que começa a raciocinar a sua fé, aparecem dez, dispostas a aceitarem de tudo, simplesmente por se sentir incluída e importante em um determinado grupo.

Quando lemos a reflexão de A.W.Tozer, :

“A velha cruz matava os homens, a nova cruz os entretêm. A velha cruz condenava,a nova cruz os diverte. A velha cruz destruía a confiança na carne,a nova cruz a estimula", resolvemos deixar destacado na abertura do blog, pois é nesse espírito que escrevemos, crendo que a velha cruz tem que ser lembrada e respeitada, não pela morte de Cristo mais por simbolizar nova vida, porque ali no madeiro, iniciou a história mais louca de todo planeta, ali se dividiu o tempo e nos corações nascia a esperança de uma nova era.

Com o tempo esta esperança foi se apagando, sendo deixada de lado, novas alternativas foram surgindo até que aquele evangelho foi quase que esquecido, lembrado por poucos que ainda oram para uma revolução acontecer.

Dentro de nós esta revolução já começou, não podemos mais calarmos ou ficar alheios a tudo isto, vamos descansar em Cristo sim, mais não nos omitirmos em influenciar vidas a serem resgatadas pelo evangelho de Cristo e encontrarem assim a verdadeira paz tão sonhada.

Abração

Marcelo & Eunice

Lições de Lutero.

"A paz se for possível, mas a verdade a qualquer preço. A medicina cria pessoas doentes, a matemática, pessoas tristes, a teologia, pecadores. Quem não for belo aos vinte anos, forte aos trinta, esperto aos quarenta e rico aos cinqüenta, não pode esperar ser tudo isso depois." Martinho Lutero

Editora Imundo Cristão



créditos: Verticontes

Mucho Loko....

Estava dando uma volta no viaduto do chá, quando deparei com um barbudo batendo e babando na bíblia, aos berros falava algumas frases dificeis de entender por causa da sua má dicção.

A cena me chamou atenção, parei e fiquei tentando entender o que aquele maluko falava, aos poucos fui percebendo que ele não era tão doido assim

" Pra que pregar o evangelho com anelzão no dedo, gravata, gelzinho no cabelo e por dentro ser um lobo veroz, engolidor de sonhos e amaldiçoador de vidas"

Fiquei chocado, quanta lucidez, aquele irmão bradava como um profeta solitário, a multidão passava ria, alguns olhavam desconfiados, outros balançavam a cabeça, com certeza aquelas palavras tinham endereço certo.

Lembro-me de quando era novo convertido, enchia tanto o saco do meu pastor para ter uma oportunidade de pregar, que um dia ele me levou no calçadão de Osasco, parou no meio da multidão e disse: filho você tem uma hora.....

- Pra que pastor?

- Para pregar! Você não queria oportunidade?

Lá fui eu, abri a Biblia a boca e sinceramente nem lembro mais o que falei, só sei que no final uma moça parou, chorou e pediu oração, dizendo que ela estava decidida a suicidar-se, porém ao ouvir os meus berros, resolveu mudar de idéia.

Aprendi que Deus usa quem quer, como quer e não cabe a nós ficar julgando pela aparencia, pela barba, roupa, grana, placa, cargo, cor, etc.... toda vez que fazemos isto, distanciamo-nos mais de ouvir a doce voz do Senhor.

"Antes de engolir qualquer coisa que poem na sua frente, pense um pouco, se o que estão falando condiz com a biblia". ( outra parte da mensagem do barbudo)

A igreja esta tão preocupada com seus compromissos que distancia-se cada vez mais da simplicidade do Evangelho, da verdade em seus púlpitos, do amor em seus atos.

Deus jamais deixara orfão os seus amados, sempre existira profetas loucos, homens desprezados, doentes, sujos, que bradarão no espirito pela verdade.

Sempre existira os Joãos Batistas da vida, vestindo-se fora da moda, sendo os "encrenqueiros" como seu mestre foi, odiados, perseguidos e pouco preocupados com o que estão achando deles.

Acredito que chegara um tempo, que o evangelho livre de heresias, sera pregado apenas nas ruas, nas praças, nas casas, que homens e mulheres tementes a Deus, por amor a Ele e por querer ter uma conciência livre de mentiras, não terão outro local para reunir-se verdadeiramente em nome Dele.


Abraço Galera

Marcelo

Supermercado Gospel: abra já sua franquia!



Por: Leonardo G. Silva - Th.M. (Púlpito Cristão)

Quer ganhar dinheiro rápido e fácil? É só abrir um mercadinho gospel. Porque é que dá tanto dinheiro? Porque os caras pedem o olho-da-cara nos produtos mais toscos, sem nenhum valor comercial: sabonetes, sal grosso, arruda e até pentes viram artigos de luxo nas prateleiras do mercado gospel, chegando a custar 100 vezes mais que o seu valor normal.

Alguns desses mercadinhos viraram verdadeiras empresas multinacionais, investindo no comércio de produtos extrangeiros. Uma dessas redes de supermercados, conhecida pelo nome de Universal Ltda., descobriu cedo que a muamba de Israel é um negócio da China, e desde então começou a importar água e azeite da “Terra Santa”, comercializando-os no Brasil à preço de ouro!

Já a outra multinacional, aquela do senhor Erro Erro, que no princípio era sócio do Universal, mas que preferiu abrir a sua própria rede, a Graça Ltda., apesar de também investir pesado em importações de Israel, quase não divulga seus produtos por meio da TV, preferindo comercializá-los por debaixo dos panos, no mercado negro.

Contudo, creio que o mais inteligente é aquele cara do Supermercado Mundial, que ao invés de importar produtos made in Israel, decidiu investir em produtos nacionais, incentivando a horticultura com a compra de milhões de rosas vermelhas, além de oferecer toalhinhas ungidas com a própria sudorese! Consumidores não faltam: outro dia eu assisti o programa deles e fui surpreendido com o relato de um senhor que adquiriu nada menos que quarenta toalhinhas dessas e enviou tudo em um malote para a sua família, lá no nordeste. É gente: a sudorese do apóstolo tá fazendo o maior sucesso na terra do “padim Ciço”. Santa idolatria...

Como vocês podem ver, o mercado gospel está em franca expansão. E para abrir uma franquia dessas é muito fácil; basta alugar a garagem e comprar umas cadeiras... Nem precisa gastar com púlpito: a dica é usar aquela mesa velha que está oxidando lá no quintal. Depois? É só oferecer cura, emprego, bens terrenos e tudo aquilo que Jesus não prometeu, e aguardar o crescimento. Mas você tem que lembrar de nunca mencionar que Jesus nasceu e morreu pobre, que seus primeiros seguidores foram grandemente perseguidos e muitos tiveram os bens confiscados por Roma, e que eles morreram por causa da sua fé. Venda a rosa, mas sem os espinhos!

O mercado de ações que se prepare, pois a gospelidade tem tudo para dar uma guinada no mercado financeiro mundial, e tudo no no nome de Gezuz! Enquanto isso, o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo continua “encalhado”, e vai só acumulando poeira na prateleira do grande mercado da fé.

ENTREVISTA PARA A REVISTA CONTEMPORÂNEA

CONTEMPORÂNEA – Por que acreditar em Deus?

Caio Fabio – Por que como poderei crer em mim se não creio no Sentido de minha vida em Deus? Além disso, crer em Deus é crer na vida. E mais: crer em Deus é poder andar sob a maior força desta ou de qualquer existência: o poder da fé. Eu, todavia, só creio em Deus porque Ele creu em mim e a mim se revelou por pura Graça e bondade. Sem fé mesmo, o que existe em relação a Deus é a “crença vazia” em um Deus que, para o homem, existi apenas por uma questão de “normalidade social e psicológica”; mas, tal crença, não nos põe na cara de Deus mesmo.


CONTEMPORÂNEA – Nos EUA, na capital americana, recentemente, e na Inglaterra, existiram campanhas publicitárias de não crença em Deus. Para os ateus, um mundo sem qualquer tipo de religião é possível. A que você atribui essa descrença crescente no mundo?

Caio Fabio – Atribuo à loucura da religião. A religião, com seu “Deus” de guerras e divisões faz muito mal à humanidade. De fato, as pessoas que assim se portam em relação a Deus — lutando contra a idéia de Deus —, não fazem tal oposição a Deus mesmo, mas apenas à Sua representação, ao Seu “Retrato Falado” descrito equivocadamente pela religião, cujo Deus é apenas uma projeção dos valores morais do grupo religioso que diz representar a Deus na Terra. De fato, ironicamente, as três religiões monoteístas do mundo — o judaísmo, o cristianismo e o islamismo — estão acabando com o mundo e a Terra. Quem tem um mínimo de conhecimento histórico sabe do que eu estou falando.


CONTEMPORÂNEA – Que tipo de fé e concepção espiritual sobre Deus, você defendeu e defende nestes últimos 33 anos como pregador?


Caio Fabio – A mesma de Jesus, que disse: “Quem me vê a mim, esse vê o Pai!” Deus é a cara de Jesus. É meigo como Jesus. É amor como Jesus. É simples como Jesus. É amigo de pecadores como Jesus. É distante da religião como Jesus. Deus é Jesus e Jesus é Deus. Quem quiser saber como Deus é, olhe para Jesus, conforme os evangelhos O apresentam.


CONTEMPORÂNEA – No mundo moderno, segundo importantes centros de pesquisas, cerca de 98% da população mundial acredita em Deus. Mas, ainda assim, o fato em si de acreditar não eximiu o ser humano de praticar guerras, violência urbana, fome, drogas, injustiças sócias e econômicas. Por quê?

Caio Fabio – Porque o “Deus” do mundo é religioso. Ora, religião é política, é partido, é fenômeno humano e se alimenta de interesses humanos, tanto econômicos quanto políticos. O “Deus da religião” divide e faz guerra. Não dá para haver paz no mundo se o maior poder entre os homens, o de Deus, é visto como uma força ideológica que afirma uns e dana ao inferno aos diferentes. O espírito religioso, quanto mais fundamentalista seja, mais diabólico o será na produção de guerras e divisões entre os homens.


CONTEMPORÂNEA – Até que ponto a Cristianismo da época de Jesus ao Cristianismo de hoje preserva sua essência original?


Caio Fabio – Jesus não fundou o Cristianismo. Ele não criou nada disso que aí está. O Cristianismo é uma criação do Império Romano cooptando a “Igreja” a fim de fortalecer o Império que se esfacelava aí pelo 4º Século. O mais foi feito em nome de Jesus, mas não tinha e não tem qualquer relação com o que Ele ensinou no Evangelho. Tudo isso é um grande estelionato!


CONTEMPORÂNEA – Qual é, afinal, a saída para possíveis distorções que o Cristianismo, na sua essência, sofreu nos últimos dois mil anos?


Caio Fabio – O Cristianismo não tem salvação. Não há promessas de Deus para a religião. Nos dias de Jesus os piores inimigos foram os fanáticos religiosos. Não foram os Romanos que mataram a Jesus. Foram os religiosos judeus que assim decidiram. Pilatos foi o mero executor. Jesus, portanto, nunca fez planos acerca de nenhuma religião. E ensinou que não se põe remendo de pano novo em vestes velhas. O Cristianismo, como fenômeno humano e religioso, não tem cura. Há milhões no Cristianismo que conhecem a Deus pessoalmente, mas isso nada tem a ver com o Cristianismo, mas apenas com a fé simples de tais pessoas na pessoa de Jesus. Por isto, não tenho sugestões a fazer ao Cristianismo.



CONTEMPORÂNEA – O crescimento da fé protestante no Brasil é uma realidade nas últimas décadas. Como você, um homem que conhece bem de perto este universo, vê tudo isso? O que existe de bom e de errado?


Caio Fabio – De bom? Ora, existem pessoinhas queridas conhecendo a Deus. De mal? De mal é a coisa toda! Vejo tudo isto como um inchaço sem alma e sem entendimento. A maioria dos “evangélicos” mais recentes são totalmente pagãos em suas crenças e em sua visão acerca de Deus.


CONTEMPORÂNEA – Qual sua opinião sobre pastores que abandonam a vida eclesiástica para militarem em outro campo, o político?

Caio Fabio – Em geral são uns oportunistas que nunca tiveram vocação pastoral mesmo. E quando obtiveram eleitores em quantidade suficiente, correram para o poder que sempre almejaram e invejaram. Vejo tudo como um descalabro, e, entre esses, conheço apenas um ou dois que não tenham se corrompido por completo.


CONTEMPORÂNEA – O que, exatamente, você chama de “graça divina”, termo que com freqüência é usado por você onde quer que você pregue?

Caio Fabio – Graça significa “favor imerecido”. A Graça é como Deus se relaciona com o homem. Sim! Não por méritos do homem, mas exclusivamente em razão de Deus ser amor.


CONTEMPORÂNEA – Qual o papel fundamental da Igreja Cristã no mundo, que vive obscurecido por inúmeros desafios, que vão desde gravíssimos problemas climáticos a crises financeiras?


Caio Fabio – A Igreja Cristã deveria apenas se converter ao Evangelho, esquecendo-se de si mesma, pois, a “Igreja Cristã” no Ocidente da Terra foi a maior promotora daquilo que hoje nos sufoca. Somente duvida disso quem não conhece a História.


CONTEMPORÂNEA – Como cristão, você é favor do uso de células troncos para o tratamento de doenças degenerativas, como, por exemplo, mal de Alzheimer?


Caio Fabio – Sim! Para tratamentos dessa natureza sou a favor. Mas sei que não ficará aí, e que, em algum tempo, o mundo do Dr. Frankenstein aparecerá, posto que o homem não consiga ficar sem realizar tudo o que possa em qualquer que seja o campo do saber. E, no caso da engenharia genética, o potencial para a loucura, mexendo nas entranhas da vida, é sem termo de comparação com qualquer outra forma de mal e de intervenção.



CONTEMPORÂNEA – Por que apesar do espantoso reconhecimento no meio evangélico, você nunca se propôs a abrir uma igreja?


Caio Fabio – “Igreja” para os “evangélicos” é um prédio cheio de gente. Para mim, conforme os evangelhos, a Igreja é gente cheia de Deus. Ora, nesse sentido do Novo Testamento, não fiz e não faço outra coisa senão abrir igrejas nas almas humanas desde sempre.


CONTEMPORÂNEA – Qual sua visão sobre a Igreja protestante brasileira hoje?


Caio Fabio – Um ente do passado, sem significado no presente e sem projeto e proposta para o futuro.


CONTEMPORÂNEA – Por que no meio evangélico, haja vista a confissão de uma só fé, existe tantas denominações?


Caio Fabio – Porque entre os “evangélicos” existe tudo, menos uma só fé. Os “evangélicos” têm tantas “fés” quantos “pastores” e “apóstolos” existam. E cada um anda não conforme a fé, mas conforme o “nicho”; ou seja: conforme o que dá certo para reunir gente, poder, dinheiro e influencia. Entre os “evangélicos”, se der certo não precisa estar certo.


CONTEMPORÂNEA – Hoje a busca espiritual em todo o mundo é uma coisa inegável. Entretanto, ao que parece a idéia sobre religião e Deus são coisas distintas diante de tanta confissão de fé e tão pouco senso de humanismo no ser humano. Por que isto acontece?


Caio Fabio – Sim! A busca humana é cada vez mais por espiritualidade e menos por religião. Se for assim, ótimo; posto que o Evangelho não seja religião, mas caminho espiritual, vereda de espiritualidade no coração da vida.


CONTEMPORÂNEA – Existe, na sua opinião, alguma coisa de cunho espiritual na crise financeira mundial?


Caio Fabio – Tudo! Esta crise é filha do pecado, da ganância, do dinheiro virtual, da força agregadora da Grande Babilônia, que é o sistema que aí está.


CONTEMPORÂNEA – De modo paradoxal, na região do Oriente Médio, um lugar onde se professa o nome Deus ou Alá de forma tão veemente, as pessoas vivem em constantes conflitos e guerras. O que você, como cristão e pregador, pensa sobre isto?


Caio Fabio – Já disse. Lá existem religiões monoteístas, mas não Deus. Deus é amor. Onde há guerras, pode haver tudo, menos Deus.


CONTEMPORÂNEA – O que é o caminho da graça?


Caio Fabio – É um movimento simples de fé conforme tudo o que acima eu disse: algo que seja apenas evangelho e sem doutrinações de homens. O Caminho da Graça é um movimento de busca da experiência simples da fé em Jesus, e sem os dogmas perversos da religião. Para nós, se está no Evangelho nos serve. Se não está, nada queremos.


CONTEMPORÂNEA – Se você, digamos, encontrar um sujeito, e ele perguntar qual o motivo central para se tornar um discípulo de Jesus, você diria o que para ele?


Caio Fabio – Diria que ele foi feito por Deus e para Deus, e que o Evangelho é a única alternativa de vida aqui e além para quem deseja apenas ser de Deus sem complicações e sem ficar nas mãos de homens e de sistemas.


CONTEMPORÂNEA – Como, exatamente, Caio Fabio define Caio Fabio? (como cristão, pregador, ser humano, cidadão, escritor; escolha uma alternativa).


Caio Fabio – Sou apenas um homem que creu no Evangelho e que não tem duas caras e nem duas vidas; e a que tenho é toda para o Evangelho.



CONTEMPORÂNEA – Quem é Deus para o Caio Fabio?


Caio Fabio – Deus é amor, conforme em Jesus o amor se manifestou!


Lago Norte
Brasília
DF
www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...